São muitos os apreciadores de puzzles que não resistem aos desafios que estes quebra-cabeças representam. E, na maioria dos casos, quanto maior é a dificuldade, maior é o entusiasmo. O norte-americano Tim Klein foi mais longe e resolveu ser ainda mais criativo. Depois de ter visto trabalhos de Mel Andringa numa revista há 30 anos, decidiu juntar vários conjuntos de puzzles e reorganizá-los, formando novas imagens.

A junção é possível porque as empresas que comercializam estes jogos de paciência recorrem, habitualmente, aos mesmos padrões de corte das peças em massa. "Posso combinar partes de dois ou mais puzzles para criar uma imagem surreal da qual a editora nunca se lembraria", confessa Tim Klein no site que criou para comercializar as criações que desenvolve, que pode ver na galeria de imagens que se segue.

Algumas das obras que realizou nos últimos meses, pelas quais chegou a cobrar valores na ordem dos 650 dólares, mais de 573 euros, já esgotaram mas Tim Klein não exclui a hipótese de as voltar a produzir, caso volte a encontrar caixas de puzzles iguais. "É com muito prazer que troco as peças para fazer combinações diferentes. Sinto-me como um arqueólogo que revela um artefacto escondido", confidencia o criativo.