Para a realização dessas actividades, o Minsa vai reforçar estratégias com os parceiros nacionais e internacionais, com quem reuniu hoje (sexta-feira), para alinhar as necessidades ligadas ao capital humano e as ajudas financeiras, visando tornar o seu trabalho mais abrangente e eficaz.

Segundo a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, no Plano Nacional de Desenvolvimento vão continuar a trabalhar para melhorar o sistema de informação para se obter dados e estatísticas credíveis, bem como aperfeiçoar a formação de recursos humanos.

Ainda na dinâmica do ministério, avançou que com a experiência acumulada os trabalhos permitiram alcançar alguns ganhos como a admissão de cerca nove mil profissionais de saúde no último concurso público e a implementação da aquisição de medicamentos, equipamentos e demais meios médicos.

O Ministério da Saúde está a reforçar a vacinação de rotina para a prevenção de doenças imunopreveníveis, tendo-se atingido para a BCG (92%), POLIO.3 (76%), VPI1- Pólio – inactivada) (68%), Penta 3 (78%), Pneumo.3 (79%), Rota2 (84%), Sarampo /Rubéola (81%) e Tétano 2 (54%).

Em 2019, foram realizadas 21 campanhas de vacinação com a utilização da vacina Pólio oral monovalente tipo 2, tendo sido vacinadas cerca de cinco mil crianças menores de 5 anos, em 108 municípios de 15 das 18 províncias do país.

Realizou-se uma campanha sincronizada com o Congo-Brazzaville. Vacinaram-se do lado de Angola, nesta campanha, 3.937 crianças contra o sarampo-rubéola em seis comunas de Belize-Cabinda e cinco comunas de Congo Brazzaville.

Dos 11 Centros Ortopédicos de Reabilitação Física existentes no país, oito foram reabilitados, apetrechados e reinaugurados, sendo dois em Luanda e um no Bié, Huambo, Cuando Cubango, Uíge, Moxico e Cuanza Sul, que se encontram hoje em pleno funcionamento, e  implementada a plataforma DHIS2 nas 18 províncias e nos 164 municípios, com o objectivo de se obter informação estatística robusta e em tempo real.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.