Nesta altura, ultima-se o apetrecho dos três consultórios e da sala de observação, que trabalhará com uma equipa multissectorial composta por um médico psiquiatra, enfermeiros, estudantes de cursos ligados à saúde, efectivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros e educadores sociais, com a missão de atender pacientes com perturbações mentais.

O coordenador do centro, Manuel Monteiro, avançou que surge no quadro da avaliação do nível de funcionamento dos centros de saúde das zonas periféricas de Malanje.

Segundo o responsável, a abertura do Centro de Apoio Psiquiátrico representará uma mais-valia, tendo em conta que o surgimento de pessoas com problemas mentais aumenta, a maioria das quais apresentam comportamentos agressivos, colocando em risco a vida dos cidadãos na via pública.

A par dos tratamentos, acrescentou, a unidade vai igualmente proceder a recolha dos pacientes e estabelecer contacto com as famílias para que possam receber, regularmente, assistência.

O centro não tem condições para internamento, pelo que a participação das famílias afigura-se preponderante para o êxito do tratamento.

Informou que os pacientes com um quadro complexo serão encaminhados ao Hospital Psiquiátrico de Luanda.