Dados das autoridades sanitárias da província do Cuanza Norte apontam a existência de 258 novos casos de VIH/Sida, resultantes de 11 mil 371 testes da doença realizados de Janeiro a Março do presente ano que resultaram em 11 óbitos.

Os dados, indicam um aumento de 11 óbitos e de 40 novos casos da doença em relação ao primeiro trimestre de 2018. Neste período haviam sido testados 9.153 indivíduos.

A província conta actualmente com um nível de seroprevalência estimado em 3,01 por cento, factor que obriga as autoridades locais a redobrarem as acções de sensibilização para a prevenção e combate à enfermidade.

A directora do Gabinete Provincial do Cuanza Norte da Saúde, Filomena Wilson, falava à Angop à margem do workshop sobre a apresentação dos planos de luta contra o Sida das províncias de Malanje, Bengo e Cuanza Norte, realizado no âmbito do projecto “Nascer livre para brilhar.

Referiu que três destas gravidas deram a luz a bebés infectados com o vírus do VIH/SIDA, por se furtarem as consultas de corte de transmissão vertical e por efectuarem os partos em casa.

Filomena Wilson sublinhou que 52 por cento das mulheres que aderem as consultas pré-natal preferem os partos domiciliares ao hospitalar, facto que tem contribuído para o aumento dos índices de transmissão do vírus do SIDA da mãe para o filho.

As pontou a existência de 23 unidades sanitárias que realizam consultas pré-natal, mas apenas 13 possuem os serviços de tratamento anti- retroviral e de corte de transmissão vertical.

Filomena Wilson frisou que a prevalência da seropositividade na província em mulheres com idades compreendidas entre 15 aos 49 anos de idade estima-se em 3,4 por cento, sendo a taxa de fertilidade estimada em oito por cento (oito filhos por cada mulher).

A estratégia local de luta contra o VIH/SIDA prevê um conjunto de acções de prevenção e combate, focalizando às actividades na formação de membros de famílias visadas e de comunidades nas áreas mais afectadas.

A iniciativa, que privilegia a realização de actividades integradas, tem por objectivo fortalecer as estratégias de municipalização do combate ao VIH/SIDA, para a redução da incidência e da prevalência, assim como da prevenção da infecção primária da doença e de gravidez indesejada baseadas na participação das comunidades.

Constituem desafios do governo da província na luta contra o VIH a contínua advocacia para o envolvimento das famílias na aquisição de competências para a mobilização dos seus membros no sentido de fazerem os testes da doença voluntariamente, bem como o tratamento dos cidadãos que estiverem infectados.

A adesão aos serviços de consultas pré-natal das mulheres gestantes, assim como a efectivação dos partos nas unidades sanitárias, a sensibilização dos estudantes dos vários níveis de ensino para comercializá-los sobre a prevenção das infecções de transmissão sexual e gravidez indesejada constam também das acções constantes no plano de combate e prevenção desta doença.

O Cuanza Norte conta com centros de diagnóstico e tratamento do VIH/Sida instalados nos 10 municípios, onde os seropositivos identificados beneficiam do acompanhamento médico e terapia gratuita com anti-retrovirais.

O workshop, em que participaram responsáveis da saúde das províncias do Bengo Malanje e Cuanza Norte, foi orientado pela especialista do Instituto Nacional de Luta contra o SIDA, Hortência Trindade.

O evento visou a uniformização dos planos de combate ao VIH/SIDA nessas províncias no quadro da iniciativa da primeira-dama da República denominada "Nascer livre para brilhar", que visa a prevenção e o combate da doença, por via do corte de transmissão vertical.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.