Os cancros do pulmão, da mama, do estômago, da próstata, da cabeça, do pescoço, bem como do cólon e do recto são os mais frequentes no IACC, referiu a responsável, que falava durante a cerimónia de abertura da “2ª edição da Semana Rosa Angola”.

O evento é organizado pela Impact Woman Angola, Associação de Luta Contra o Câncer “Viver e Vencer” e Associação Amigos da Giza (focada em crianças com necessidades especiais).

As mortes são causadas principalmente pela chegada dos pacientes à unidade já em fase terminal, pelo que o apelo da médica vai para a necessidade de maior disseminação de informações sobre a prevenção e vigilância para o auto-exame.

“A detecção precoce é um pressuposto para que se atinja alta taxa de cura”, frisou.

A Semana Rosa visa proporcionar aos pacientes um dia de conforto, dando a eles a oportunidade de aumentar a sua auto-estima, tornar o seu dia mais leve e animado, tendo em conta que no Centro Oncológico os dias são sempre difíceis.

Segundos dados de Janeiro a Outubro deste ano, foram registados no país pelo menos 320 casos de cancro da mama, na maioria em estado já avançado. Comparativamente a 2018, houve um aumento de 20 casos.

Por seu turno, uma das mentoras da “Semana Rosa Angola”, Kátia Oliveira, referiu que o projecto tem como objectivo consciencializar sobre o perigo do cancro e também dar apoio aos doentes do IACC.

Para essa organização é importante trazer a sociedade o conhecimento das reais dificuldades do único Instituto Oncológico de Angola, das vítimas e familiares desta patologia.

Visto que o Outubro Rosa é dedicado ao Cancro da Mama, a responsável fez saber que o programa estende-se aos variados tipos de cancro.

Kátia Oliveira fez saber que, segundo informação prestada pelo IACC, em cada semana é realizada uma cirurgia para a retirada ou diminuição do cancro, 150 é o número de pacientes para primeira consulta e 140 mulheres passam pelo processo de quimioterapia.

A responsável recomendou a sociedade a pautar por hábitos alimentares saudáveis, exercício físico e abstinência ao álcool e ao tabagismo.

“A nossa luta maior é contra o estigma, pois mulheres são abandonadas pelos esposos e homens abandonados pela família. Ninguém escolhe ter cancro”, disse.

Para hoje, o programa da semana Rosa reservou café da manhã com os pacientes, palestra sobre consciencialização e cuidados na alimentação para a prevenção do cancro, amarrações de lenços e entrega de perucas, momento de beleza com as pacientes, bem como uma campanha de doação de sangue.

Estiveram presentes na cerimónia personalidades que abraçaram a causa, os denominados padrinhos, nomeadamente as cantoras Yola Semedo e Pérola, a estilista Soraya da Piedade e o director da nacional da Cultura, Euclides da Lomba.

São de igual modo padrinhos do projecto, Leila Lopes (Miss Universo 2011), o artista plástico Guilherme Mampuya e o Grupo Humorístico “Os Tuneza”.

A "Semana Rosa Angola" é um projecto que nasce com o objectivo de consciencializar a sociedade angolana sobre diversos problemas ligados a saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.