A entrada no mercado chinês de genéricos levou as ações da empresa Changshan Biochemical subir 10% (o limite máximo autorizado) esta quarta-feira na Bolsa de Valores de Shenzhen, na China.

Uma das suas subsidiárias acaba da obter a autorização para fabricar o famoso comprimido azul, um dos mais eficazes no tratamento da disfunção sexual eréctil. Para enfatizar o tamanho do mercado, a empresa localizada em Shijiazhuang diz que há 140 milhões de homens a sofrer atualmente deste tipo de problema na China.

"Imaginando que 30% deles escolhem fazer tratamento, isso totaliza 42 milhões de pessoas", indica a empresa em comunicado. "E supondo que todas as pessoas tratadas vão tomar o medicamento várias vezes, o mercado pode chegar a vários mil milhões euros", lê-se na nota de imprensa.

A China tem oficialmente 708 milhões de homens. De acordo com estimativas da Changshan Biochemical, cerca de 20% sofrem de problemas de ereção.

A magnitude dos números anunciados pela empresa causou perplexidade, mas fonte da farmacêutica Changshan assegurou ao jornal chinês Securities Times que dois estudos sustentam as suas alegações.

As patentes do Viagra, criação da gigante farmacêutica Pfizer, expiraram na China em 2014. Desde então, as empresas locais podem produzir medicamentos genéricos, usando o principal ativo do produto original.