De acordo com o secretário de Estado, desde o surgimento dos primeiros casos da pandemia, a 21 de Março, o quadro clínico de todos os infectados era assintomático (sem sintomas), mas, nos últimos dias, 13 por cento dos pacientes apresenta febre alta, de 38 graus de temperatura, e tosse.

Ao falar na habitual conferência de actualização de dados sobre a covid-19, Franco Mufinda referiu que 87 por cento desses pacientes (52 pessoas do total de infectados) são assintomáticos e clinicamente estáveis.

Em função do registo do aumento de casos e do surgimento de pacientes com sintomas, o secretário de Estado apela ao redobrar de esforços no cumprimento das medidas de prevenção, fundamentalmente no referente ao distanciamento entre pessoas e ao uso da máscara.

“A próxima semana poderá ser decisiva, tendo em conta que se vai alargar a base de testagem para as comunidades, facto que impõe que as pessoas fiquem em casa”, adiantou o membro da Comissão Multissectorial para Resposta à Pandemia.

Na ocasião, Franco Mufinda deu a conhecer que todos os profissionais da clínica Endiama (com infectados internados) já foram testados, com resultados negativos, enquanto os técnicos da Multiperfil (por onde passou o ancião, de 82 anos, falecido) continuam a espera dos resultados.

Por outro lado, informou que, ainda, nesta sexta-feira a Comissão Multissectorial levou à província da Lunda Sul uma câmara laminar (equipamento laboratorial) para potenciar o laboratório local na testagem da covid-19, através do “método genexpert”.

Esclareceu que, o “método genexpert” é, habitualmente, utilizado para o diagnóstico da tuberculose, mas com grande eficácia na testagem do novo coronavírus, que já infectou 60 pessoas em Angola, com três óbitos, 18 recuperados e 39 doentes activos, sendo 32 de transmissão local.

Os 60 casos positivos confirmados envolvem cidadãos nacionais e estrangeiros de ambos os sexos e de diferentes faixas etárias.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.