Em 2020 teremos 20% da população com mais de 65 anos. A osteoartrose será uma das patologias mais incapacitantes quer pela perda de autonomia, quer pela perca de liberdade do ser. Estudos recentes confirmam que a osteoartrose é uma doença com impacto elevado na qualidade de vida, bem como no funcionamento e na capacidade de trabalho. Devido à sua taxa de prevalência, esta exerce não só um forte impacto pessoal, mas também um impacto social elevado e crescente nos dias de hoje.

Os principais fatores de risco são, entre outros, a idade, género (um pouco mais frequente no género feminino), doenças metabólicas e endócrinas, a obesidade e a sobrecarga articular. No que respeita a esta patologia, o diagnóstico precoce aumenta exponencialmente a probabilidade de prevenção da evolução da doença.

As articulações têm uma lubrificação própria que impedem o seu desgaste. Apenas quando excessivamente utilizadas ou danificadas ocorrem lesões à cartilagem das articulações móveis. Uma regeneração ineficiente da mesma pode prejudicar assim o movimento, e provocar dor. Todas as articulações são submetidas a este desgaste, sendo maior nas de carga.

Desenvolvimento lento

A osteoartrose tem um desenvolvimento lento na maioria dos casos depois do aparecimento dos sintomas. Muitas pessoas apresentam alguma forma de incapacidade, mas, em certas ocasiões, a degeneração das articulações é possível de ser controlada.

Para lidar e prevenir a osteoartrose existe uma combinação de fatores que devem ser tidos em conta. Alguns dos principais são a alimentação, o exercício físico, privilegiando os alongamentos e sem carga, assim como a medicação específica ou a suplementação adequada.

O que deve ingerir?

Do ponto de vista da dieta, há estudos que confirmam que os alimentos ricos em ácidos gordos ómega3, frutos e legumes ricos em vitaminas e antioxidantes, são essenciais para manter a saúde articular, sendo que uma suplementação adicional pode efetivar a absorção dos nutrientes e vitaminas necessários.

O exercício físico regular deve acompanhar a alimentação saudável de forma a assegurar e prevenir a incapacidade de movimentos.

A osteoartrose deve ser considerada uma prioridade em termos de prevenção e tratamento, para que seja controlado o impacto global da doença não só para os doentes, mas também na sociedade em geral. Retardar o envelhecimento articular deverá ser um objetivo da medicina moderna.

As recomendações são do médico Carlos Evangelista, especialista em Ortopedia.