A ansiedade social é uma experiência comum. A maior parte das pessoas pode sentir ansiedade numa ou outra situação social e, em alguns casos, esta até pode ser eficaz. Um certo grau de ansiedade social tem importantes funções reguladoras no funcionamento social em grupo. No entanto, a maioria das pessoas sente ansiedade pontual e transitoriamente.

A timidez tem sido frequentemente associada a um traço de personalidade ou temperamento. Pode ser considerada uma condição subclínica que faz parte de um contínuo em que num extremo estão as pessoas sem qualquer ansiedade perante situações sociais e no outro estão as pessoas com PAS. A maioria das pessoas consideradas tímidas poderá experienciar alguma ansiedade. Porém, ao contrário dos indivíduos com PAS, conseguem focar a sua atenção na tarefa social. A ansiedade, neste caso, é de grau e intensidade ligeira, não interfere com o desempenho social e não conduz a evitamento de situações.

O que é a Perturbação de Ansiedade Social

A PAS (ou Fobia Social) caracteriza-se pelo medo intenso e persistente de ser observado, julgado e avaliado negativamente pelos outros em situações de interação e desempenho social. A pessoa, habitualmente, receia sentir-se embaraçada, inadequada, humilhada, julgada ou rejeitada.

A ansiedade tem um impacto significativo na vida da pessoa, podendo comprometer a realização de tarefas no trabalho, na escola e em atividades do quotidiano. Tarefas de interação social e/ ou de desempenho podem ser evitadas ou enfrentadas com intenso sofrimento.

Em função do tipo de situações que é receada, a PAS pode ser de dois tipos:

  • Generalizada – a ansiedade surge em quase todas as situações sociais (e.g. interação com pares, ir a uma entrevista de emprego, ir a uma festa, responder a perguntas na sala de aula, conhecer pessoas novas);
  • Circunscrito – a ansiedade surge em situações específicas, sejam elas de interação social ou desempenho (e.g. falar para uma plateia, fazer testes, fazer apresentações orais, tocar um instrumento no palco, comer em público, dançar para uma plateia).

Manifestações clínicas na PAS

A PAS tem diversas manifestações clínicas que podem englobar sintomas fisiológicos, cognitivos e alterações de comportamento.

Os sintomas fisiológicos mais frequentes nas pessoas com PAS incluem palpitações cardíacas, sudação, rubor, tremor, tensão muscular, boca seca, náuseas ou mal-estar abdominal, hipervigilância.

Em termos cognitivos, o conteúdo do pensamento é dominado por: temas de fracasso, falta de competências para provocar uma impressão positiva no outro, preocupações com a aparência e a avaliação negativa por parte dos outros (e.g. “vou fazer má figura”, “vão pensar que sou burro”, “vão julgar-me”, “vão gozar comigo”).

As alterações de comportamento estão relacionadas com o evitamento ou bloqueio durante a situação social. Paralelamente, as pessoas com PAS tendem a utilizar um conjunto de comportamentos através dos quais procuram sentir-se mais seguras (e.g. verificar ou controlar cuidadosamente o que vai dizer, falar o menos possível e usar frases curtas, tentar não atrair a atenção, evitar o contacto visual, esconder as mãos para encobrir o tremor).

Impacto da PAS

A PAS pode ter um impacto significativo na qualidade de vida, podendo limitar o funcionamento da pessoa no dia a dia, particularmente a nível interpessoal, na vida escolar, no trabalho e vida afetiva. Abandono escolar precoce, baixo rendimento, dependência económica, instabilidade no emprego, depressão e baixo suporte social são frequentes. 

O estabelecimento e manutenção de relações sociais pode ficar comprometido. Falar com desconhecidos, cumprimentar um vizinho, conhecer pessoas novas ou marcar encontros amorosos são situações que podem ser enfrentadas com muita dificuldade. A ansiedade social pode também ter um impacto negativo nas relações existentes (e.g. se um amigo ou companheiro quiser socializar com outras pessoas). Pode, ainda, ter um impacto negativo no desempenho académico/laboral e interferir na escolha dos estudos e da profissão (e.g. a pessoa pode evitar um curso ou um emprego para não enfrentar a exposição social).

Diagnóstico e Tratamento

É fundamental recolher informação detalhada e específica acerca da causa, natureza, duração e intensidade dos sintomas, para que se possa fazer um diagnóstico diferencial. Sempre que os sintomas acima descritos estejam presentes, é importante valorizar.

A existência de uma PAS pode causar um importante impacto, tornando-se essencial a procura de ajuda especializada. A terapia cognitivo-comportamental para a PAS tem sido associada a resultados eficazes. Sem intervenção, a PAS pode durar muitos anos ou uma vida inteira e ter um impacto muito significativo na qualidade de vida.

Tânia Costa
Psicóloga Clínica e da Saúde

tania.costa@pin.com.pt

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.