Lady Gaga foi distinguida com o prémio ‘Patron of the Artists’, na gala SAG-AFTRA, que decorreu em Beverly Hills, e aproveitou a subida ao palco para fazer um discurso emocionante sobre a sua saúde mental.

A cantora não se inibiu de falar sobre os períodos conturbados que enfrentou no passado. “Comecei a perceber que olhava para o espaço e ‘apagava’ por instantes. Via flashes, experiências que estavam no meu cérebro e pensava: ‘Vou tratar disto depois’”.

Gaga atribuiu à pressão exigida pela sua profissão o facto de ter ficado afetada psicologicamente. “Eram sintomas de stress pós-traumático e eu não tinha especialistas de saúde mental na minha equipa. Mais tarde isso transformou-se em ataques de pânico, traumas e espirais mentais debilitantes, que incluíam ideação suicida e comportamento masoquista”, acrescentou.

A cantora e atriz terminou o seu discurso com um apelo a Hollywood, para que a indústria invista num “sistema” que fizesse “dizer não a ambientes tóxicos e a pessoas com comportamentos questionáveis”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.