De acordo com a psicóloga Kanguimbo Ananás, que falava sobre “O impacto da violência doméstica na mulher”, numa promoção do Centro de Imprensa Aníbal de Melo, no âmbito do ciclo de palestra do Março Mulher, é nas famílias onde o ser humano absorve valores para fortalecer as estruturas pessoais.

A especialista avançou que os desvios comportamentais são fruto da instrução que as jovens mulheres recebem nas famílias, em termos culturais, religiosos, deveres, responsabilidades, compromissos.

Independentemente da desagregação das famílias devido a questões sociais, afirmou, há uma responsabilidade  no que respeita a transmissão de princípios e valores.

A juventude, disse Kanguimbo Ananás,  por ser produto da família deve desempenhar o seu papel do ponto de vista educacional, pois é nela em que os valores não se apagam.

Quanto a violência contra mulheres, disse haver uma culpabilização enorme contra os homens, facto que não corresponde totalmente com a realidade, pois existem também mulheres agressivas de várias maneiras.

No seu ponto de vista deve haver mudança de paradigma, primando pelo diálogo, respeitando o carácter e a personalidade de cada um.

Apontou os desequilíbrios, a questão da alimentação, da habitação, desafectos, as incompreensões, os problemas de ponto de vista social como as principais causas de violência doméstica.

Para a psicóloga, há necessidade de as famílias e as igrejas transmitirem mensagens de que o diálogo deve ser permanente porque cada pessoa tem a sua personalidade e cada problema a sua dimensão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.