Os fatores de ordem geoambiental podem ter impacto direto na infertilidade e podem causar inúmeros problemas ao longo do período de gestação, com eventuais consequências na saúde da criança.

Seja por exposição prolongada tóxicos ambientais, radiações naturais ou contaminação eletromagnética, é importante preparar a sua casa de forma a viver num espaço que lhe proporcione saúde e bem-estar.

No dia em que se celebra o Dia Internacional da Grávida, deixamos-lhe 5 dicas para que viva de forma mais feliz, saudável e plena, principalmente se está grávida ou pretende engravidar.

1. Deite fora os ambientadores da sua casa

Hoje em dia existe uma enorme diversidade de ambientadores no mercado, no entanto, é importante ter em conta que os mesmos não são benéficos para a sua saúde. A ciência tem associado, por exemplo, o uso de ambientadores com dores de cabeça e depressões pós-parto, sendo que as crianças expostas aos mesmos tendem a sofrer de sintomas como diarreias e dores de ouvidos.

2. Escolha materiais naturais

Os materiais que constituem a sua casa devem ser o mais naturais e ecológicos possível.

A madeira, o bambu, a terra ou a cortiça são opções biocompatíveis e livres de substâncias tóxicas, que conferem o grau de permeabilidade e a capacidade térmico-acústica para uma casa saudável.

Os edifícios devem ser construídos com materiais transpiráveis, de forma a evitar humidade e mofos, que potenciam problemas de saúde respiratórios entre outras doenças.

É de evitar isolantes provenientes de origem sintética ou mineral, como espuma de poliestireno ou lã de rocha e vidro e substituí-los por isolantes como cortiça, cânhamo ou fibra de coco. Evite a utilização de tintas e vernizes tóxicos

3. Atenção aos aparelhos eletrónicos

Mudanças comportamentais, principalmente durante o período de gravidez, podem contribuir bastante para uma fase mais tranquila e sem percalços na sua saúde.

Evite utilizar o seu telemóvel junto ao corpo, principalmente quando o aparelho estiver a carregar e opte por fazer chamadas através de headphones. Não coloque o portátil sob o abdómen e desligue o Wi-Fi da sua casa durante a noite.

4. Ventile a sua casa

Ventile diariamente para reduzir a concentração dos tóxicos ambientais que se acumulam no seu interior (compostos orgânicos voláteis, gases tóxicos, material particulado, etc.)

5. O seu quarto é mesmo saudável?

O quarto é o local onde o corpo e mente se regeneram, pelo que é importante que este espaço seja ausente de campos elétricos e eletromagnéticos. A cama deverá estar localizada num local isento de zonas geopáticas.

As zonas geopáticas podem existir em áreas de solos e subsolos onde se verificam algumas das seguintes características: falhas geológicas, fissuras em formações rochosas, concentrações de minerais ou correntes de água subterrâneas.

Sintomas como estados de ansiedade, dores de cabeça ou sensação de cansaço ao acordar são alguns sinais de que precisa rever a forma como está disposto o seu quarto. Mulheres que estejam sujeitas a fontes de contaminaçãogeoambiental durante o sono tendem a ter dificuldades em engravidar ou a sofrer abortos espontâneos.

As dicas são de Marcelina Guimarães e Miguel Fernandes, especialistas em saúde geoambiental e arquitetura integrativa e co-fundadores da empresa “Habitat Saudável”.