Ruby Silvious é uma designer gráfica e uma artista visual norte-americana. Os seus mais recentes trabalhos incluem experiências com materiais reciclados que representam o seu dia a dia e lhe ocupam parte do quotidiano. Em janeiro de 2015, deu início a um projeto criativo ao qual deu o nome de "363 dias de chá", uma espécie de registo diário visual das suas vivências que faz usando um saco de chá como tela. A ideia era criar uma nova obra de arte todos os dias.

Durante 363 dias, desenhou, pintou, imprimiu e colou tudo aquilo que os seus estados de espírito lhe permitiram no pequeno papel das saquetas de chá usadas que foi recolhendo ao longo desse período. "O saco de chá usado não é muito atraente. Mas onde toda a gente vê uma saqueta de chá manchada, eu vejo uma tela em branco", explica. O objetivo desta prática criativa foi inspirar novas formas de criatividade e de reinterpretar a arte tradicional.

"Espero que as pessoas que vêem a minha arte sejam, de alguma forma, inspiradas para a sua possível renovação", defende a artista. A residir em Nova Iorque, Ruby Silvious foi educada nos EUA, na Europa e na Ásia. A sua arte é exibida internacionalmente e está presente em coleções públicas e privadas. Depois da sua primeira experiência em 2015, a artista plástica norte-americana tomou-lhe o gosto. Nos últimos anos, desenvolveu outros trabalhos semelhantes.

A "52 semanas de chá" em 2016, seguiram-se "26 dias de chá em França" e "26 dias de chá no Japão", em 2017. Em 2019, publicou o livro "Reclaimed canvas: Reimagining the familiar", outra das obras que escreveu para despertar mentalidades para a necessidade de mudar de perspetiva em relação àquilo que se pode considerar arte tradicional. Veja, de seguida, algumas das criações que integram os projetos que elaborou a partir do papel das saquetas de chá.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.