De acordo com o coordenador adjunto do programa de Telemedicina na província do Huambo, Almeida Chitungo, através deste processo é possível determinar soluções para o atendimento de pacientes localmente, com as recomendações de especialistas e, em situações mais delicadas, efectuar a transferência para as unidades de referência, depois de um diagnóstico devido.

Dai o facto de ter realçado que os serviços de Telemedicina constituem um mecanismo fundamental na redução do fluxo de pacientes no Hospital Central do Huambo, transferidos de outras unidades, além de contribuir, por si só, na melhoria da assistência médica e medicamentosa da população.

Lançado com o objectivo de garantir uma interacção entre as unidades sanitárias e os especialistas que se encontram nos hospitais de referência.

Desta cifra, detalhou o responsável, 157 foram reportados pelos hospitais de nove, dos 11 municípios do planalto central, onde se encontram instalados os serviços, com excepção do Huambo e Ecunha, enquanto 11 foram através das unidades hospitalares do Cazombo, Luau e Luena (Moxico) e outros seis a partir da municipalidade de Muconda (Lunda Sul).

Almeida Chitungo disse que, entre as doenças atendidas, destacam-se as lesões e outras causas externas, como fracturas e traumatismo, as do fórum digestivo, respiratório, cardiorrespiratórias, patologias infecciosas e parasitárias, as relacionadas com a pele, os transtornos mentais, gravidez e o parto puerpério.

O responsável explicou que a Telemedicina consiste em reportar, com recursos aos meios tecnológicos, casos que os municípios não têm capacidade de resposta para a base provincial, instalada no Hospital Central do Huambo, para que, por via de um especialista se preste uma assistência médica e medicamentosa necessária.

A Telemedicina é o uso das modernas tecnologias de informação e telecomunicações para o fornecimento de informação e atenção médica a pacientes e outros profissionais de saúde situados em locais distantes.

Trata-se, pois, de uma sub-área da telesaúde e sua principal área, actualmente, é a ciber-medicina, medicina por internet ou intranet.

O Sistema de Saúde da província do Huambo, com dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, conta com 248 médicos, três mil e 639 enfermeiros, 467 técnicos de diagnósticos e terapeuta, assim como 825 administrativos, além de outros profissionais indispensáveis para o seu normal funcionamento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.