Quando pensamos em cuidados antienvelhecimento, na maior parte das vezes concentra-mo-nos no rosto e esquece-mo-nos que a pele do nosso corpo também sofre com o passar dos anos. Quando se fala em cuidados da pele, a maioria das mulheres tende a concentrar-se efetivamente mais no rosto, preocupadas com as rugas ou as manchas, relegando para segundo plano as necessidades da pele do pescoço para baixo.

Não obstante, alguns dos sinais mais reveladores do envelhecimento são bastante evidentes na pele do corpo, sobretudo se não tiver sido tão cuidadosa, como foi com o seu rosto, relativamente à proteção solar. Em particular nas mãos, nos antebraços e no peito.

Pele é pele, pelo que precisa sempre que a hidrate, a proteja do sol e lhe faculte os nutrientes necessários para evitar a secura e a flacidez, dois dos sintomas mais visíveis de que o corpo também envelhece. Se já chegou aos 40 anos, tem a perfeita consciência do que estamos a falar, mas tenha calma.

Assim como no rosto, melhorar o aspeto da pele do seu corpo também é possível. À medida que os anos vão passando, há marcas que vão ficando. Muitas delas podem ser, todavia, atenuadas, com substâncias, cosméticos, tratamentos e cuidados específicos. Saiba, de seguida, quais os melhores truques que os especialistas apontam para travar e abrandar, na medida do possível, o envelhecimento da pele do corpo.

As alterações que tornam a pele demasiado seca

A pele do corpo é frequentemente vítima de um estado de secura prematuro mais profundo do que no rosto e que se agrava com a idade. Existem duas razões principais para que isso aconteça. Uma delas prende-se com a alteração da película hidrolipídica superficial. A redução da taxa de secreção de sebo explica o facto da pele perder mais água e, portanto, de se tornar mais seca, rugosa e repuxada.

Em casos extremos, podem mesmo surgir comichões. Outra das causas prende-se com as alterações hormonais relacionadas com a idade. Envelhecemos desde o dia em que nascemos mas as mudanças negativas podem apreciar-se desde a quarta década de vida, tornando-se mais evidentes na mulher na perimenopausa e menopausa, quando a diminuição das hormonas femininas afecta todas as estruturas cutâneas.

Na menopausa, as carências hormonais, em particular, a redução da secreção de estrogénios, travam a renovação celular e a actividade das glândulas sudoríparas e sebáceas. Existem atualmente no mercado inúmeros produtos com formulações que contêm ingredientes que combatem a secura cutânea, prevenindo o problema. No caso do problema teimar em persistir, deve consultar rapidamente um dermatologista.

Em busca da firmeza perdida

O envelhecimento do corpo também é provocado por uma perda de firmeza, denominada relaxamento cutâneo. As fibras de sustentação (elastina e colagénio) alteram-se com facilidade e a sua síntese é consideravelmente mais lenta. A manifestação mais importante é, na opinião dos especialistas, a flacidez. Ocorre um descaimento provocado pela diminuição da renovação celular, especialmente da produção de colagénio.

Esta substância é a responsável pela elasticidade cutânea. O colagénio, como está mais envelhecido, perde parte das suas propriedades e a pele torna-se mais flácida.

Pode observar-se, para além disso, um tom de pele mais apagado, pode dizer-se que perde brilho.

Uma vez mais, os desajustes hormonais relacionados com a menopausa influenciam negativamente, já que a carência de estrogénios implica uma redução da taxa de produção de fibras elásticas.

A barriga, o pescoço e a parte interna dos braços são as primeiras partes do corpo onde se pode observar perda de firmeza e relaxamento cutâneo. Para além disso, as zonas de flexão, como as dobras dos joelhos e dos braços, têm tendência para acentuar este processo por causa da falta de elasticidade e firmeza. Atualmente, também existem no mercado inúmeros produtos com formulações que aumentam a firmeza dos tecidos.

Prevenir e evitar a passagem do tempo está nas suas mãos

Em termos cosméticos, a sua pele precisa fundamentalmente de hidratação e nutrição, que pode conseguir através do uso de cremes específicos para o corpo. Adicionalmente, tem à sua disposição uma oferta cada vez maior de equipamentos médico-estéticos com tratamentos muito eficazes para a flacidez corporal. Fique a saber o que deve fazer para, dependendo dos casos, prevenir ou travar, na medida do possível, o envelhecimento:

- Para melhorar e travar

Quando os sinais de envelhecimento sobre o seu corpo são evidentes, o melhor que tem a fazer é ter uma rotina diária, assim como tem com o rosto, com uma limpeza adequada, esfoliação da pele pelo menos uma vez por semana, hidratação e ingestão de ácidos gordos não saturados, como os dos óleos de salmão, de borragem ou de linho. Como tratamento coadjuvante, sem dúvida, a radiofrequência, acompanhada de mesoterapia e peelings.

- Para prevenir

Não é por acaso que a maioria dos tratamentos antienvelhecimento têm, por norma, como base uma receita que alia a alimentação equilibrada, ao exercício moderado, à ingestão abundante de água e à eliminação de hábitos tóxicos como o tabaco e as drogas para travar as marcas da passagem dos anos. Siga esta máxima! Para se proteger, evite ambientes com fumo, não se exponha ao sol e hidrate-se com regularidade.

A revolução da cosmética corporal antienvelhecimento

Este tipo de cosmética também pode revelar-se uma preciosa ajuda. Nos últimos anos, tem-se discutido muito a eficácia ou não de distintos cremes, de substâncias e até de tratamentos estéticos. Na opinião dos especialistas, estes produtos cumprem a sua missão. Se comprarmos um par de sapatos e cuidarmos de um deles diariamente com graxa e do outro não, ao fim de pouco tempo a diferença entre a pele dos dois será notória.

Podemos aplicar esta teoria à pele do nosso corpo, já que é preciso limpá-la, hidratá-la e complementar as suas carências com produtos adequados. Por outro lado, a indústria cosmética conta com centros de investigação que não ficam atrás daqueles que estudam medicamentos e, aos poucos, vão-se descobrindo ou produzindo substâncias realmente eficazes que ajudam a paliar os efeitos da passagem dos anos sobre a pele.

Lembre-se que na hora de escolher um creme ou um tratamento estético adequado, o mais recomendável é, na opinião da maioria dos especialistas, recorrer aos que estimulam a síntese de colagénio e de elastina na derme e que regeneram a substância fundamental de sustentação intradérmica, como os que contêm ou recorrem a ácido hialurónico. Também aqui as opções à disposição dos consumidores são mais que muitas.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.