Os duques de Cambridge, William e Kate, visitaram hoje uma escola para raparigas no Paquistão no início de uma visita de cinco dias ao país cujo itinerário é mantido em segredo.

O primeiro compromisso do casal real foi visitar uma escola para raparigas em Islamabad, a capital do país, seguido de uma visita ao parque nacional das colinas Margalla.

Mais de mil policias e forças paramilitares ficaram encarregues da proteção dos duques.

Os duques, defensores da educação feminina, visitaram a Model College for Girls, onde se sentaram durante meia hora com as jovens enquanto as alunas aprendiam matemática, de acordo com as imagens da emissora televisiva paquistanesa.

"Ambos queriam conversar com elas de maneira natural (...) por isso foi muito bom", afirmou Khadija Bakhtiar, diretora de uma organização não-governamental que promove a educação.

Esta escola vai do ensino básico ao secundário e tem cerca de mil alunas.

De acordo com o relatório anual do Desenvolvimento Humano da ONU, a maioria das raparigas paquistanesas deixa a escola depois do ensino primário, sendo que as alunas frequentam, em média, sete anos de ensino.

Segundo dados do Ministério das Finanças paquistanês, menos de metade das mulheres sabia ler e escrever em 2015, enquanto 71% dos homens era alfabetizado.

Quase 23 milhões de crianças não frequentam a escola no Paquistão, segundo a Unicef, sendo que as raparigas são mais prejudicadas do que os rapazes devido às caraterísticas religiosas e patriarcais do país.

Nos últimos anos, os talibãs têm destruído escolas para raparigas no noroeste do país, incluindo na região de Swat Valley, lar de Malala Yousafzai, uma rapariga que foi baleada e hoje é uma das ativistas globais da educação feminina, tendo recebido o Nobel da Paz.

Ainda que se saiba pouco sobre o itinerário dos duques, o casal real chegou a Islamabad na segunda-feira à noite e teria um encontro com o primeiro-ministro Imran Khan no mesmo dia.

A mãe de William, a princesa Diana, visitou o Paquistão na década de 90 para participar numa angariação de fundos de um hospital de tratamento de cancro construído por Khan.

A princesa morreu num acidente de carro em 1997 e muitos paquistaneses ainda a lembram pelo seu trabalho de caridade.

Os voos da British Airways no Paquistão foram cancelados há mais de uma década, após o bombardeamento de uma carrinha num hotel ter feito dezenas de mortos.

Nos últimos anos o país tem sido palco de vários atos de terrorismo, ainda que a segurança tenha melhorado recentemente.

Além de Islamabad, William e Kate deverão visitar Lahore, detentora de uma importante herança arquitetónica e religiosa.

O casal real é esperado nas montanhas verdes do norte e perto da fronteira com o Afeganistão, a oeste, de acordo com Thomas Drew, embaixador britânico no Paquistão.

Em comunicado, a família real britânica afirma que o objetivo da visita é melhorar a relação entre os dois países e perceber como é que o Paquistão tem lidado com problemas relacionados com a crise climática.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.