Segundo a responsável que falava durante a palestra sobre fuga á paternidade, realizada pelo Instituto Angolano da Juventude, esta prática regista-se com frequência entre jovens de 14 aos 17 anos de idade. E esses números, adianta a especialista, apontam para a necessidade das adolescentes serem informadas das vantagens do planeamento familiar.

Frisou que o aborto provocado na adolescência tem como consequências, em alguns casos, a esterilidade, porque a menina tem os órgãos pouco desenvolvidos e quando interrompe uma gravidez sem cuidados médicos existe o risco de ficar com alguns danos para o resto da vida.

Indicou ser mais fácil fazer um planeamento familiar para se evitar uma gravidez indesejada, em detrimento de um aborto provocado.

Chamou especial atenção às mulheres para realizarem as consultas de planeamento familiar e outros cuidados médicos, por ser a única forma de se proteger a vida.
O hospital do Zango possui uma sala de partos e presta serviços nas áreas de pediatria, planeamento familiar, consultas pré-natais, farmácia, obstetrícia, entre outras.