Probióticos podem ter influência sobre os estados de ansiedade e depressão

Para além dos benefícios para o sistema imunitário, as bactérias dos probióticos podem alterar a atividade cerebral e, desta forma, influenciar a ansiedade e os estados depressivos, conclui um estudo realizado no Canadá.

O estudo desenvolvido pela Universidade de McMaster, no Canadá, contou com a participação de 44 adultos com Síndrome do Intestino Irritável portadores de problemas ou distúrbios de ansiedade e depressão.

Ao longo de 10 semanas, metade dos participantes recebeu uma dose diária dos probiótico "Bifidobacterium longum NCC3001" e a outra metade tomou um placebo.

No final desse período, foram realizadas ressonâncias magnéticas e os resultados mostraram que os pacientes que tomaram probióticos registaram alterações nas áreas do cérebro associadas à ansiedade.

Segundo a investigação publicada no jornal "Gastroenterology", cerca de 64% dos participantes que tomaram o probiótico mostraram reduções nos níveis de depressão em relação a 32% dos doentes que tomaram o placebo.

"Este estudo revela que o consumo de um probiótico específico pode melhorar tanto os sintomas intestinais como problemas psicológicos", concluiu Premysl Berick, um dos autores do estudo.

"Os resultados do estudo são muito promissores, mas têm de ser confirmados num futuro ensaio de maior escala", comentou Maria Pinto Sanchez, principal autora do estudo, citada pelo Science Daily.

Os probióticos são comercializados em vários formatos, seja sob a forma de leite, iogurte ou comprimidos, por exemplo.

Estes alimentos influenciam o estado de humor

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários