Os (novos) solteiros dos dias que correm

Muitos sonham com o amor mas não têm tempo para o procurar. Saiba o que as pessoas mais querem num relacionamento e veja o que fazem para encontrar o parceiro certo.

Muitos homens e mulheres estão solteiros porque têm dificuldade em encontrar alguém que os ame, que os compreenda e que os apoie. Alguns porque têm sentido essa dificuldade desde sempre. Outros porque as pessoas com quem se têm relacionado ao longo do tempo não têm correspondido às suas expetativas e ambições, cada vez maiores num mundo em mutação permanente. Os próprios timings para os relacionamentos também mudaram.

« Hoje, a priorização dos estudos e carreira não é a mesma de há décadas atrás, sobretudo para a mulher, para quem o casamento representava uma forma de vida mais segura e que não devia ser adiada», sublinha Liliana Duarte, diretora-geral da Amore Nostrum, a maior agência matrimonial portuguesa, procurada essencialmente por descomprometidos e por pessoas que pretendem acabar com os seus dias de solidão.

Qual o perfil-tipo de quem recorre à vossa agência. São essencialmente pessoas solteiras?

Não, os solteiros atingem uma percentagem de cerca de 20% dos nossos clientes e são geralmente pessoas entre os vinte e poucos e os 35 anos. Os divorciados representam mais de 50% dos clientes, dividindo-se por variadas idades e pela condição de terem filhos pequenos, ou já adolescentes. E, depois, temos as pessoas mais velhas, com 50 e tal, 60, 65 anos e até mais, pessoas que já têm os filhos criados e sentem um vazio nas suas vidas.

São mais homens ou mais mulheres a procurar o tipo de serviços que disponibilizam?

As motivações são essencialmente as mesmas ou variam? Verifica-se um equilíbrio no número de homens e mulheres que nos procuram. E as motivações são, basicamente, ainda não terem encontrado a pessoa certa e existir o desejo de começar uma relação séria, que não passe pelas armadilhas e pelas surpresas dos conhecimentos pela internet.

Nem sempre é fácil encontrar a pessoa idealizada e todos sabemos que os fatores negativos e irreconciliáveis com a própria personalidade muitas vezes se apresentam passado bastante tempo de as pessoas se terem conhecido. Uma coisa é certa, este serviço dirige-se a homens e mulheres com determinado grau de exigência e que não querem deixar ao acaso do destino o tipo de pessoa que vão conhecer…

Como se processa o serviço? Como é que são feitas as correspondências e identificadas as compatibilidades entre as pessoas?

O nosso serviço é realizado através de uma equipa especializada em relacionamento humano. É presencial, sério e respeita os valores tradicionais da sociedade portuguesa no que diz respeito à vida íntima sentimental. Só aceitamos pessoas descomprometidas. E também garantimos a confidencialidade, pois não fornecemos os dados pessoais, incluindo o nome, morada e números de telefone dos clientes.

As pessoas chegam a uma consulta com os nossos psicólogos/consultores e fornecem elementos como a idade, as habilitações, a profissão, o signo, a zona de residência ou o estilo de vida, se são solteiros ou divorciados, se têm filhos e de que idades, entre outros, explicando que tipo de pessoa querem conhecer, desde o tipo físico à maneira de ser e aos objetivos de vida que possam ser compatíveis com as suas próprias expetativas…

Depois, na Amore Nostrum, partindo-se de uma base científica, faz-se o cruzamento de dados através do qual se identificam graus de compatibilidade, perfis que possam ser os ideias para esta ou aquela pessoa. Eleitos esse ou esses perfis que tenham grande possibilidade de ir ao encontro dos desejos de um cliente, fazemos o contato com ele e o passo seguinte será marcar um encontro que é sempre realizado nas nossas instalações e na presença de uma consultora.

Veja na página seguinte: Como é organizado o primeiro encontro

Comentários