Habituado a ser visitado com regularidade por vários animais na sua propriedade em Sheffield, em Inglaterra, o fotógrafo Simon Dell foi recentemente surpreendido por uma família de ratos no seu jardim. Em vez de os eliminar com ratoeiras, pegou em ferramentas e construiu uma aldeia em miniatura para os pequenos bichos. "Estava a fotografar uns pássaros quando reparei em algo que se movia no chão", conta.

"Apontei a minha máquina fotográfica ao chão e fiquei muito feliz ao ver um pequeno roedor em pé, como uma suricata, na relva", relata o fotógrafo. "Percebi imediatamente que era uma estrela e fui a correr buscar amendoins para lhe dar", acrescenta ainda. Foi uma questão de minutos até o pequeno rato voltar para os comer. Foi nessa altura que Simon Dell teve a ideia de criar melhores condições de abrigo para os animais.

"Temos todos os tipos de animais selvagens no jardim. Vários tipos de aves, incluindo estorninhos, pardais, melros, tordos e até uma garça cinzenta que comeu a maior parte dos peixes que tínhamos no lago. Todas as noites, somos visitados por uma raposa e temos, ainda, muitos ouriços e esquilos", adianta ainda o fotógrafo. Numa fase inicial, havia apenas um rato com um corte na orelha, ao qual chamaram George.

Para levar a sua avante, Simon Dell, que também tem jeito para a bricolage, empilhou uns troncos em torno de uma caixa coberta com musgo e palha, de forma a criar um pequeno abrigo, como pode ver na galeria de imagens que se segue. Na altura, protegeu a cerca com arame farpado, para que os gatos da vizinhança não constituíssem ameaça. Uns dias depois, percebeu que havia, pelo menos, mais um roedor. Não se enganou!

A descoberta obrigou Simon Dell a rever o projeto inicial. "Sendo fotógrafo de vida selvagem, queria criar-lhes um habitat agradável, e onde estivessem protegidos de predadores", explica o fotógrafo. Foi, então, que decidiu aumentar a estrutura e a pequena aldeia de roedores começou a ganhar forma. "Com mais espaço, garantimos maior sobrevivência aos ratos durante o inverno", justifica o fotógrafo, orgulhoso.

"Coloquei-lhes, também, um punhado de penas de almofada que permitem aquecer o interior das suas casinhas e proteger das noites frias", refere ainda. Mas, para além de Mildred, a fémea de George, que atualmente espera uma ninhada, Simon Dell contou, ainda, pelo menos mais cinco ratos. Como forma de agradecimento, os roedores têm posado para as lentes do fotógrafo. As fotos, ternurentas, estão a tornar-se virais.