"Somente uma proporção ínfima da produção global de roupas e tecidos é reciclada hoje em dia. Praticamente tudo é enviado para aterros ou incineração. Mas a inovação sueca e a vontade de ajudar a atenuar as mudanças climáticas podem influenciar a indústria a nível global", afirmou Lars Idermark, presidente e diretor executivo da Södra, a empresa que apresenta uma solução única na reciclagem de tecidos em grande escala.

Um dos principais obstáculos à reciclagem de têxteis é que os tecidos são geralmente feitos de materiais misturados. A nova técnica da Södra separa o algodão e o poliéster nas misturas de polycotton (mistura de fios sintéticos e naturais), que são um dos tecidos mais amplamente utilizados no mercado. As fibras de algodão puro são adicionadas à polpa têxtil derivada da madeira, que pode, então, ser usada no fabrico de novos tecidos.

"Estamos a redesenhar o mapa da indústria da moda e têxtil, oferecendo fluxos circulares de fibras têxteis. Uma camisola pode voltar a ser uma camisola novamente, o que criará valor agregado para os clientes, especialmente para a indústria da moda. É um dia muito significativo para nós, assim como para a bioeconomia circular emergente", disse Johannes Bogren, presidente da Södra Cell Bioproducts.

Durante o outono, a fábrica de celulose da Södra, em Mörrum, produziu celulose adicionando 20 toneladas de têxteis usados. Atualmente, a Södra aceita apenas tecidos brancos, mas o objetivo é encontrar também uma solução de descoloração, além de investigar a possibilidade de extrair um fluxo de produtos residuais do poliéster.

A Berendsen, fornecedora sueca de serviços de lavanderia e tecidos, forneceu o material de teste usado no projeto piloto, que incluiu lençóis, toalhas de banho e mesa e roupões no fim da sua vida útil provenientes de hospitais e hotéis.

"Aceitaremos viscose e liocel (tencel), além de misturas de polycotton. Devido à mudança tecnológica dos nossos processos, precisaremos de grandes volumes de tecidos. Neste momento, estamos à procura de empresas com ambições de alta sustentabilidade que queiram fazer parceria connosco na entrega de tecidos", disse Helena Claesson, gestora de projetos da Södra.

A produção começará com a taxa baixa de 30 toneladas este ano, mas a meta de longo prazo é acrescentar 25.000 toneladas de tecidos à produção de celulose da empresa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.