A Comissão Europeia anunciou esta semana o lançamento da edição 2020 do Concurso Europeu de Inovação Social.

Sob o tema "Reimaginar a moda: mudar comportamentos para a moda sustentável", a competição deste ano procura projetos em estágio inicial que mudem a forma como produzimos, compramos, usamos e reciclamos a moda e incentivamos uma mudança mais sustentável no comportamento do consumidor.

O concurso está aberto a participantes de todos os Estados-Membros da UE e países associados ao Horizonte 2020. O prazo de inscrição termina na quarta-feira, 4 de março. Um júri selecionará três ideias vencedoras em novembro, cada uma das quais receberá um prémio no valor de 50.000 euros.

"Os consumidores europeus estão cada vez mais conscientes dos impactos ambientais dos seus hábitos de consumo. Com base na posição da Europa na vanguarda da moda global, o concurso de inovação social deste ano está à procura de inovações que mudem a maneira como produzimos, usamos e vestimos moda e incentivamos mais sustentabilidade nesta indústria ", diz Slawomir Tokarski, diretor de inovação da DG GROW.

O objetivo do Concurso Europeu de Inovação Social 2020 é melhorar o impacto ambiental e social da moda. Em média, os cidadãos da UE compram mais de 12 kg de roupas por ano, cuja produção contribui com 195 milhões de toneladas de CO2 para a atmosfera e usa 46 mil milhões de metros cúbicos de água.

O vestuário representa entre 2% e 10% do impacto ambiental do consumo total da UE

Ao mesmo tempo, mais de 30% das roupas dos europeus não são usadas há pelo menos um ano. Uma vez descartadas, mais da metade das peças de vestuário não são recicladas, mas acabam no lixo doméstico misto e são posteriormente enviadas para incineradores ou aterros sanitários.

Para resolver estes problemas, a competição deste ano está à procura de projetos que contribuam para melhorar a produção, uso e consumo sustentáveis de moda, bem como o estágio de final de vida dos produtos. Estas ideias devem ter como objetivo reduzir a pegada ambiental geral da moda, melhorar o seu impacto social e ajudar a mudar comportamentos de maneira sustentável, assim como desenvolver novos produtos, serviços, processos e modelos de negócios inovadores.

O concurso complementará várias medidas que a Comissão Europeia já implementou para resolver o problema da sustentabilidade na moda. O pacote de economia circular, adotado em 2018, exigirá, pela primeira vez, que os Estados-Membros garantam que os têxteis sejam recolhidos separadamente.

A nova diretiva relativa aos resíduos exige que os Estados-Membros implementem estas medidas o mais tardar até 2025. A diretiva relativa aos resíduos de embalagens estabelece metas para a reciclagem de 60% de todas as embalagens até 2025 e 70% até 2030.

O atual regulamento têxtil vinculativo de 2011 estabelece regras para a rotulagem de todos os produtos têxteis, incluindo a obrigação de declarar a composição completa de fibras de produtos têxteis em todas as etapas do processamento industrial e da distribuição comercial e regras sobre os nomes de fibras têxteis.

Para informações sobre o concurso, visite os sites eusic.challenges.org/ e ec.europa.eu/growth/industry/innovation/policy/social/competition_en

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.