Tem circulado imagens de lugares onde a poluição tem diminuído devido à pandemia da COVID-19, sendo boas notícias pelo menos no que toca a questões ambientalistas, mas os cientistas avisam que pode não ser bem assim.

É verdade que com a diminuição de circulação populacional e indústrias e comércio parados existe uma quebra evidente nas emissões de gases do efeito estufa, porém, isso pode afetar negativamente o meio ambiente, segundo revela uma publicação da BBC News, dando cinco razões para justificar que esta pandemia pode não ser tão benéfica para o meio ambiente

A primeira de todas diz-nos que experiências passadas mostram que estas diminuições pontuais não levam a mudanças a longo prazo.

Em segundo lugar, porque já se está a produzir mais lixo, principalmente resíduos provenientes de hospitais. Em Wuhan, na China, epicentro desta crise, por exemplo, a quantidade de lixo quadruplicou, recordando que muito desse lixo é plástico (luvas, máscaras, fatos...)

Depois, em terceiro lugar, o consumo de energia nas cidades aumentou muito, isto porque passamos mais tempo em casa.

O quarto ponto pode parecer contraditório, mas os cientistas afirmam que "as partículas de poluição tem os seus benefícios devido ao efeito de escudo contra os raios de sol", isso pode fazer com que o planeta fique rapidamente mais quente.

Por fim, com as preocupações de saúde devido ao novo coronavírus, toda a questão e debates sobre o aquecimento global ficaram em segundo plano.

A publicação deixa ainda a mensagem de que esta crise global pode sim servir para rever a maneira como vivemos, lembrando que todos nós podemos fazer algo pelo ambiente em períodos de isolamento social.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.