Ao regressar das férias, que mereceram os seus gastos, a época de Regresso às Aulas pode ser um desafio acrescido para o orçamento mensal das famílias. Contudo, com um bom planeamento consegue gastar o necessário para a escola dos seus filhos, cumprir com os seus compromissos financeiros e ainda poupar para os próximos meses!

Neste guia apresentamos-lhe cinco aspetos que deve ter em conta para um melhor planeamento do orçamento familiar para o mês de setembro.

1. Planeie as despesas antes de ir às compras

Setembro é uma época de recomeços, pelo que é tempo de arregaçar as mangas e começar a ter o orçamento familiar bem planeado para todas as despesas deste mês.

Deve assim gerir o tempo da família e o capital disponível. Quanto ao tempo, pense nas novas rotinas de trabalho e no ritmo das crianças. Depois de semanas de férias, é necessário um período de habituação para regressarem a um ritmo de horários mais fixos. Deve também ter em conta as atividades extracurriculares, que podem implicar uma maior ginástica ao nível de transporte e de orçamento.

Para o planeamento financeiro deve sempre saber quanto pode gastar e gerir as melhores alturas para o fazer ao longo do ano. Organize os seus extratos bancários e guarde as faturas de despesas. Aponte tudo num ficheiro Excel para que saiba sempre quanto dinheiro tem disponível ao longo mês.

Assim, poderá ir às compras sabendo exatamente o valor que pode gastar.

2. Faça uma lista daquilo que precisa de comprar

Um dos principais gastos das famílias é com os manuais escolares. Uma criança pode gastar mais de 200€ em manuais num ano letivo e nos casos de famílias com duas crianças, é possível imaginar a despesa. Há ainda que contar com outros materiais, como é o caso de cadernos, mochila, lápis, estojo e nova roupa para a estação mais fria. Porém, as famílias podem poupar algum dinheiro e diminuir drasticamente a despesa neste campo.

Para este ano letivo, todos os manuais do 1º ao 12º ano são gratuitos. Assim, para poder poupar este valor deve aceder à Plataforma MEGA Manuais Gratuitos, fazer o seu registo e receber os vouchers que lhe permitem fazer a troca por manuais. No final do ano letivo, deve devolvê-los à escola para que possam ser reutilizados por outros alunos futuramente. Assim, poupa no orçamento e também não irá acumular livros em casa.

Quanto às compras de material escolar, antes de fazer a lista, veja o que já tem em casa. Muitas vezes as canetas, os lápis de cor e os esquadros podem ser reutilizados. Se por acaso tiver cadernos que não estejam completamente usados, aconselhamos a retirar-lhes as folhas vazias e colocá-las num dossier: tem um caderno novo sem gastar mais por isso!

Quanto à mochila, sugerimos que utilize a do ano passado ou invista numa que seja resistente e adaptada à rotina da criança. Pode ainda escolher um modelo de cor simples e a personalização fica ao critério da criança. Se colocar pins poderá facilmente trocá-los noutros anos, sem ter de comprar uma nova mochila de um tema diferente.

Depois de ver o que já tem em casa, faça a lista e cumpra-a, para que a despesa seja o mais planeada possível.

3. Deixe a compra de vestuário para os saldos

As crianças crescem rápido, o que coloca um desafio quanto à compra de roupa. Se tiver dois filhos, reutilize a roupa que já não serve ao mais velho para o mais novo utilizar.

Se necessitar mesmo de roupa para o dia a dia, experimente lojas em segunda mão ou falar com amigos e familiares sobre a troca de vestuário. Assim, poupa tempo e dinheiro neste capítulo.

Prepare também uma lista para os essenciais de inverno, como calçado e um agasalho e deixe a compra para mais tarde. Pode sempre aproveitar promoções em fins-de-semana específicos nas superfícies comerciais ou esperar mesmo pelos saldos. No entretanto, utilize roupa básica para utilizar no dia a dia.

4. Não se esqueça da mesada

Para quem tem filhos adolescentes, as despesas podem não ser com o material escolar, mas sim com o dinheiro de bolso. Faça as contas e defina o valor da mesada que os seus filhos vão receber e se esta cobre algumas despesas, desde transportes, carregamento do telemóvel, almoço na escola, entre outros.

Nesta idade é também importante falar de literacia financeira e educá-los sobre o valor do dinheiro. Como tem mais despesas, o adolescente deve ter mais responsabilidades e aprender que se gastar muito fica sem dinheiro antes do mês terminar. Dê-lhe alguma liberdade para gerir a mesada e deixe-o falhar para que possa aprender o quão importante é poupar e gerir as despesas.

5. Guarde as faturas de todas as suas despesas para o IRS

Apesar do grande volume de despesas é possível obter algum retorno. Para quaisquer despesas de educação ou material de escritório, guarde a fatura com número de contribuinte para fazer as contas mais tarde.

Tome nota: para o IRS são consideradas despesas de educação, as prestações de serviços e as aquisições de bens que estão isentos de IVA ou são tributadas com 6% de IVA.

Podem também estar incluídas nestas despesas o pagamento de creches e jardins de infância, estabelecimentos de ensino e despesas com manuais escolares. Verifique também as faturas que tem de refeições em cantinas e refeitórios escolares. Se tiver faturas em que o NIF do emitente é um prestador de serviço de fornecimento de refeições escolares, pode também deduzir em sede de IRS. As despesas de educação no IRS correspondem a uma dedução de 30% de um limite global de 800€.

Para além dos encargos escolares, pedir fatura ajuda-o na entrega do IRS pois poderá apresentar mais despesas possíveis de dedução, aumentando as probabilidades de ser reembolsado.

No regresso às aulas, planeie a sua vida para que as crianças comecem a escola com o pé direito e o seu orçamento familiar também esteja bem.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.