É comum as famílias portuguesas utilizarem um ou mais cartões de crédito para pagarem as contas e gerirem o seu orçamento familiar. E, muitas vezes, utilizam-no quando não têm dinheiro na própria conta bancária. Nestas situações, o cartão de crédito pode ajudar, mas depois poderá hipotecar o seu futuro, uma vez que irá pagar as várias taxas de juro associadas a estes cartões.

O cartão de crédito parece ser seu inimigo nestas ocasiões, mas pode-se tornar seu amigo seguindo algumas dicas que o ajudam a cumprir os seus compromissos financeiros e também a poupar.

Veja abaixo cinco dicas simples que o podem ajudar:

1. Analise as despesas do seu cartão

Há cartões de crédito que estão isentos de anuidade, contudo veja bem as condições do seu cartão. Esta pode ser gratuita apenas no primeiro ano ou então é gratuita se o utilizador cumprir certos níveis de utilização.

Para quem utiliza o cartão esporadicamente, veja se lhe compensa pagar estas taxas. Se for um utilizador mais frequente, poderá ter de pagar a taxa de anuidade, mas poderá poupar ao ver junto do seu banco uma taxa de juro mais baixa.

2. Cumpra os pagamentos

Para poder controlar melhor as suas despesas com o cartão de crédito é essencial que tenha em atenção que a sua dívida acumulada deve ser paga até ao final do período de isenção de juros. Se mantiver este controlo rigoroso, pagará apenas o que utilizou, sem juros associados, poupando dinheiro no processo.

3. Utilize o cartão nas compras grandes

Quando fazemos uma compra a crédito importante, fazemos várias simulações para perceber quantas prestações teremos de pagar e o valor de cada prestação de crédito. Contudo, quando é uma compra de valor reduzido, sugerimos sempre pagar a pronto, pois se utilizar o cartão de crédito, estará a pagar muito por muito pouco, não compensando o esforço e o valor que poderia utilizar para poupar ou para pagar outras despesas.

4. Aproveite as promoções

Há cartões de crédito de entidades bancárias que têm uma extensa rede de parceiros, fazendo com que possa utilizar o mesmo noutros estabelecimentos e ter um desconto. Veja as condições do seu cartão e analise se consegue ter uma poupança nas compras, nos combustíveis, em bilhetes para espetáculos e eventos, entre outra regalias.

Contudo, reforçamos que deve fazer um consumo consciente. Mesmo que haja uma promoção em vista, se essa despesa não fizer parte dos seus planos ou possa desequilibrar o seu orçamento familiar nesse mês, deixe passar a oportunidade.

5. Fale com o seu banco

Se já tentou as dicas anteriores e ainda assim quer arranjar uma solução melhor, fale com o seu banco. Contacte o seu balcão para analisarem a sua situação e tente negociar a taxa de juro ou a data de pagamento.

Se renegociar uma taxa de juro inferior, utilize o restante dinheiro para ir amortizando outras dívidas que tenha. Se conseguir ajustar a data de pagamento, aproxime-a com a data em que recebe o salário, garantindo que a mensalidade seja debitada na altura do mês em que tem dinheiro disponível na conta.

Com estas dicas, poderá usar o seu cartão de crédito de uma forma mais responsável, cumprir os seus compromissos financeiros e poupar para o futuro. Relembramos que num orçamento familiar equilibrado, a sua taxa de esforço não deve ser superior a 50%, pelo que analise as suas despesas, otimize-as e viva uma vida financeira mais saudável.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.