De acordo com o director do gabinete provincial da saúde, João Miguel Paulo, em declarações à Angop, registou-se uma diminuição de casos de malária e mortes por esta enfermidade face ao primeiro semestre de 2017, mas sem avançar dados estatísticos.

Crianças com idades compreendidas entre os cinco e 14 anos foram as mais atingidas pela doença, segundo o director, que falava à margem da visita ao município do Soyo, do director regional da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), na sigla inglesa, John Groarke.

Disse que o seu sector está preocupado com o grupo alvo que são as crianças menores de cinco anos, tendo, por isso, apelado às comunidades locais, organizações humanitárias e aos meios de comunicação social a trabalharem em conjunto na promoção de acções de sensibilização para a prevenção deste mal.

Medidas de saneamento básico do meio, higiene pessoal, o uso de mosquiteiros tratados com insecticidas, entre outras, continuam a ser recomendadas pelas autoridades sanitárias do Zaire.

Ao avaliar o trabalho desenvolvido durante os primeiros dois meses pelos Agentes de Desenvolvimento Comunitário e Sanitário (ADECOS) na região, João Miguel Paulo disse estar a contribuir na transmissão de informações sobre a prevenção da malária nas comunidades e na identificação de possíveis focos desta enfermidade.