No encontro foram abordadas matérias sobre as medidas de biossegurança, sistema de vigilância epidemiológica, sensibilização da população sobre medida de prevenção no manejo de óbitos, buscas activas, pontos focais de informações para precaver a situação de ébola e outras.

Formação dos técnicos de saúde, plano de contingente, alerta das equipas técnicas, supervisões das unidades sanitárias, encontros com líderes religiosos e directores das escolas para o esclarecimento de medidas de prevenção contra ébola, são entre outros aspectos abordados no encontro.

O director provincial da saúde no Uíge, Madalena Angelina Diogo disse que o encontro visa encontrar melhores estratégias para se prevenir da situação do ébola, que assola a RDC nos últimos dias.

Disse que actualmente os directores municipais da saúde devem cada vez mais encorajar os técnicos da saúde, para continuarem a sensibilizar a população sobre as medidas de prevenção da ébola e outras doenças.

Realçou que a direcção provincial vai continuar envidar esforços para envio de alguns materiais de biossegurança, sobre tudo nos municípios fronteiriços  com a RDC, nomeadamente Maquela do Zombo, Milunga e Kimbele.

Disse que além dos três municípios citados que fazem fronteira com vizinho RDC também outras vilas da província devem ficar atentos com a situação de ébola e outras doenças.

Avanço que Maquela do Zombo já realizaram igualmente um encontro no Kimpango com as autoridades da RDC, e que visou encontrar melhores soluções de prevenção do ébola.

Frisou que a situação de doença prevalece no Congo nas localidades com mais de dois mil quilómetros até a fronteira de Kimbata,

informando que as medidas de prevenção devem ser reforçadas para que a doença de ébola não chega em Angola.

Adiantou que na fronteira de kimbata foi criado um sítio para  quarentena durante a encubação de casos suspeitos de doença.