A chefe do serviço infecto-contagioso do hospital municipal, Serafina Maria, em declarações hoje à imprensa, apontou o consumo excessivo de bebidas alcoólicas por parte de alguns munícipes, principalmente o de fabrico caseiro como a principal causa do aumento desta enfermidade na região.

Referiu-se igualmente ao trabalho forçado a que estão sujeitos muitos cidadãos, aliado à fraca alimentação como também alguns dos factores que concorrem para a proliferação da tuberculose na circunscrição.

A técnica de saúde aconselhou aos cidadãos a evitarem a consumir bebidas alcoólicas de forma abusiva, bem como pautar-se por uma dieta alimentar equilibrada baseada em verduras e sumos naturais.
“A má alimentação fragiliza o organismo humano, deixando o corpo sem imunidades de defesa, facilitando, deste modo, a invasão das doenças virais ao organismo”, referiu.

No entanto, a fonte lamentou o facto de muitos pacientes portadores do Bacilo de Kock abandonarem o tratamento médico, sem a autorização das autoridades sanitárias locais, tendo garantido haver fármacos suficientes para o combate a enfermidade na região.