Em declarações à Angop, uma das mentoras do rastreio, denominado “Semana Rosa Angola”, Kátia Oliveira informou que foram realizados mais de trezentos exames às vendedoras da “Praça da Mulher”, um espaço onde são comercializados roupas, calçados, bijutarias, artigos de beleza entre outros produtos para senhoras.

Explicou que as vinte mulheres a quem foram diagnosticadas cancro da mama foram encaminhadas para o Instituto Angolano de Controlo do Cancro (IACC), onde vão receber assistência médica e medicamentosa.

Ressaltou que esta iniciativa serviu também para sensibiliza e consciencializar as vendedoras e vendedores do “Mercado da Mulher” sobre a importância do auto-exame para o diagnóstico precoce da doença.

Com o apoio dos profissionais de saúde do Clube dos Médicos e da Clínica Anjos da Guarda foram diagnosticados também 10 casos de malária, 15 de hipertensão e 10 de diabetes.

A "Semana Rosa Angola" é um projecto que visa consciencializar a sociedade angolana sobre diversos problemas ligados à saúde.

Dados apontam que de Janeiro a Outubro deste ano, foram registados, no país, cerca de 320 casos de cancro da mama.

O programa “Semana Rosa Angola” vai realizar uma actividade denominada “Gala Rosa” no dia 25, deste mês, no qual será leiloado um vestido da estilista Soraya da Piedade e uma jóia do Grupo CG Jewelry, cujas receitas vão servir para apoiar os programas de combate ao cancro da mama.

No sábado (26), a “Semana Rosa Angola” promoverá uma caminhada com partida no Instituto de Oncologia e o ponto de chegada será no Museu de História Militar (Fortaleza de São Miguel).

Essas actividades inserem-se nas comemorações do surgimento do Movimento “Outubro Rosa”, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1990.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.