Estava internado desde 12 de janeiro. De acordo com os órgãos de comunicação locais, Li Wenliang morreu esta quinta-feira, aos 34 anos, em Wuhan.

Em dezembro, o médico chinês tentou alertar outros profissionais de saúde para o coronavírus.

No entanto, o médico foi uma das oito pessoas investigadas pela polícia chinesa por, supostamente, inventar rumores sobre uma nova doença.

A China elevou hoje para 563 mortos e mais de 28 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

A OMS declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.