Os casos de reações alérgicas identificados pelos médicos têm vindo, globalmente, a crescer nas últimas décadas e os números não deverão abrandar nos anos mais próximos. Portugal não é exceção. Os dados de uma investigação científica internacional apresentada num congresso espanhol são alarmantes. "Sabemos que cada vez mais pessoas sofrem de alergias em todo o mundo", afirma Sophie Seite, diretora científica da marca de dermocosmética La Roche-Posay, a entidade que desenvolveu o estudo.

"Segundo a Academia Europeia e a Imunologia Clínica, 50% de todos os Europeus irão sofrer de uma alergia em 2025", refere. "O que a nossa investigação demonstrou é que todos os tipos de alergia têm um impacto na pele", sublinhou a responsável na sua intervenção. Brasil, China, França, Rússia e Estados Unidos da América foram os mercados avaliados. "Uma parte significativa da população adulta afirma ter alergias", refere a análise apresentada pela diretora científica da marca de cosmética francesa.

"Entre 65% e 82% das pessoas viram o seu diagnóstico confirmado por profissionais de saúde", esclarece a empresa em comunicado de imprensa. "O estudo demonstra que as reações cutâneas são uma consequência muito comum das alergias, independentemente do tipo [pode ser alimentar, respiratória ou cutânea]", refere. Ainda segundo esta investigação, apresentada no congresso da Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia em Madrid, "55% das pessoas que sofrem de dermatite atópica sente dor".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.