Quase 700 pessoas, a maioria crianças, contraíram recentemente o vírus da imunodeficiência humana (VIH), no sul do Paquistão, algumas das quais devido ao uso de seringas usadas, informaram as autoridades de saúde daquele país.

Um total de "681 pessoas, incluindo 537 crianças entre dois e 12 anos, testaram positivo para o VIH (...) em Rato Dero", um subdistrito da província de Sindh (no sul do país), disse Zafar Mirza, conselheiro da Saúde do primeiro-ministro Imran Khan, numa conferência de imprensa.

"O uso de seringas usadas pode ser uma das causas da disseminação da doença", acrescentou, explicando que mais de 21 mil pessoas foram submetidas a exames nessa região.

"O primeiro-ministro Imran Khan anunciará medidas drásticas para prevenir a doença assim que for determinada a causa exata da sua disseminação", explicou Zafar Mirza.

Nas últimas semanas o Governo providenciou um rastreio à população local na tentativa de detetar novos casos da doença, após o aumento exponencial da incidência.

As imagens da corrida ao teste

Todas as suspeitas recaem sobre o médico Muzaffar Ghangro. Os investigadores dizem que um pediatra seropositivo é a mais provável origem da contaminação em Rato Dero.

O homem, sob custódia judicial, nega ter inoculado o vírus nos seus pacientes de forma deliberada.

Com cerca de 20 mil novos casos de pessoas seropositivas em 2017, o ritmo de disseminação da vírus da Sida no Paquistão é o segundo mais rápido na Ásia, segundo estatísticas da ONU.

Saiba mais sobre o vírus da Sida neste vídeo:

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.