A informação foi prestada à Angop, sexta-feira, pelo chefe Departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias do Gabinete Provincial da Saúde, Isaías Sambunga Cambissa, sublinhando que no mesmo período, foram notificados 252 mil e 168 novos casos de malária.

Comparativamente ao período anterior de 2017, registou-se mais 137 óbitos, menos 131. 224 casos de malária, sublinhando que as mortes aumentaram tendo em conta que muitos enfermos chegam nas unidades hospitalares já em estado de saúde muito crítico.

Disse ainda que o governo local, através do sector da saúde e parceiros sociais, continuam a trabalhar para reduzir o índice de morbimortalidade da doença, principalmente em mulheres gravidas e crianças.

Para tal, decorrem varias acções consubstanciadas no treinamento do pessoal, distribuição de mosqueteiros tratados com insecticidas e palestras de sensibilização.

Pulverização de residências, combate às águas estagnadas, focos de lixo, são dentre outras as medidas de prevenção contra a enfermidade com vista a diminuir o índice de morbi-mortalidade ao nível desta região.

Aconselhou a população a dar importância as normas de prevenção da doença, tais como queimar e enterrar o lixo, usar correctamente mosquiteiro e procurar com urgência os hospitais em caso de sinais e sintomas da doença.