De acordo com uma nota da  organização, a marcha que teve um percurso com destino ao Instituto Angolano de Controlo do Câncer, teve o apoio do Standard Bank de Angola, por meio do projecto Heróis de Azul, que associou-se à Liga Angolana Contra o Cancro (LACC). No mesmo dia, antes do início da Marcha, os Heróis de Azul fizeram a medição da tensão arterial e aconselhamento aos participantes.

Para o coordenador do Projecto Heróis de Azul, Jelson Domingos, o objectivo de associar-se à esta marcha é de estar a contribuir para uma sociedade mais informada sobre a problemática do cancro da próstata, provocar uma maior reflexão e aceitação desta realidade que muitos homens e a própria sociedade tem ignorado.

“O Standard Bank, por meio dos Heróis de Azul, tem contribuído de alguma forma para a materialização das acções de apoio às comunidades, em diversas áreas. Faz parte dos nossos valores e queremos continuar com os nossos parceiros a dar o nosso contributo para uma sociedade melhor, mais justa e digna para todos”, acrescentou Jelson Domingos.

Esta marcha assinalou o Dia Mundial do Combate ao Cancro da Próstata, comemorado a 17 de Novembro e, teve como objectivo a consciencialização da população para a problemática do cancro e a sensibilização para prevenção e combate ao cancro da próstata bem como a promoção da prática de exercícios físicos para a manutenção da saúde.

“Apesar do esforço e de todo trabalho que temos feito, ainda estamos distantes do que pretendemos. Acreditamos que aos poucos vamos alcançar os resultados desejados, que passa por disponibilizar mais informação sobre a importância de fazer o teste, expandir estas acções em todo país, mostrar que o número de homens com cancro da próstata tem aumentado todos os anos e dar a conhecer os métodos de prevenção”, disse a Presidente da Liga Angolana Contra o Cancro, Luzimira João,

De referir, que a responsável alertou a necessidade de os homens adaptarem como rotina, depois dos 40 anos consultas preventivas de urologia. Os principais sintomas cancro da próstata, numa fase inicial quase que não apresenta sintomas, podendo, porém, apresentar: jacto urinário fraco; necessidade frequente de urinar, principalmente durante a noite; dor ou ardor ao urinar; sensação de queimadura entre os testículos e ânus e presença de sangue na urina.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.