Segundo a nota enviada ao SAPO,  a Vital Capital, fundo que gere o LMC, foi seleccionada pela sua gestão activa no centro médico, obtendo a maioria dos votos, entre mais de 250 investidores privados em mercados emergentes, durante a cimeira de liderança “Sustainable Investing in Emerging Markets” da EMPEA e do Financial Times.

Os membros da audiência votaram a favor da empresa que acreditam que melhor demonstrou um impacto sustentável excepcional numa perspectiva operacional, ambiental e social. O LMC saiu vencedor entre os três finalistas, onde estiveram também a EM3 AgriServices, empresa que inova na área agrícola na Índia, gerida pela Aspada Investments, e o Eranova, uma das principais plataformas de serviços públicos africanos de acesso às necessidades básicas, gerido pelo Emerging Capital Partners.

Dan Schönfeld, da Vital Capital, referiu após receber os votos da audiência: “O LMC e a Vital Capital estão humildemente honrados e gratos por este prémio. Nós vemos esta decisão como uma afirmação da importância e complexidade  no investimento privado de capital em mercados emergentes. Temos a esperança que o nosso sucesso com o LMC possa encorajar outros investidores privados a investir em projectos inovadores, que servem fundamentalmente as necessidades das populações nesses mercados”.

Lembre que o LMC é um centro médico privado, que tem como visão criar um impacto significativo na população em Angola, através da melhoria dos padrões de cuidados de saúde disponíveis e instalações internacionalmente acreditadas, operadas e supervisionadas.

Ainda sobre este galardão internacional, Michael Averbukh, Director Geral do LMC, referiu que: “Este prémio é o resultado da mais profunda dedicação por parte de todos os que, diariamente, cuidam dos nossos Clientes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.