"A ideia (da festa) é reunirem-se para ver se o vírus é real e se alguém o contrai", explicou Jane Appleby, diretora médica do Hospital Metodista de San Antonio.

Um rapaz que estava na festa ficou infetado. A saúde dele começou a deteriorar-se até ter de ser hospitalizado. Acabou por morrer esta semana.

Antes de falecer, o paciente disse à enfermeira que o atendia: "Acho que cometi um erro". "Achou que esta doença era uma fraude. Achou que por ser jovem era invencível e não seria afetado pela doença", contou Appleby.

Segundo a médica, grande parte dos pacientes jovens não costumam dar-se conta de quão doentes estão.

"Realmente não parecem doentes. Mas quando vemos os seus níveis de oxigénio e testes laboratoriais, eles realmente estão mais doentes do que aparentam", acrescentou.

"Nenhum de nós é invencível", advertiu, indicando que vários pacientes de 20 a 30 anos estão internados no mesmo hospital com complicações relacionadas com o novo coronavírus.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.