A responsável fez saber que durante o período em referência, o hospital diagnosticou 50 pacientes com hipertensão arterial, contra os 60 do igual período do ano anterior.

Fez saber que a falta de informação sobre a doença, bem como dificuldades financeiras para aquisição dos fármacos e consequentemente o não cumprimento as consultas de rotina, estão na base para o aumento das mortes com hipertensão arterial na província.

Na ocasião, a médica cardiologista Rosa Ventura Brandão esclareceu que qualquer pessoa esta propensa a adquirir as doenças cardiovasculares, daí a necessidade de se adoptar medidas para prevenção da doença, como a prática regular de exercícios físicos, aliado ao consumo de alimentos ricos em sais minerais.

Entretanto, alertou que a alteração nos níveis da pressão arterial, acima de 120 por 80 milímetros de mercúrio, observada 3 ou mais vezes numa pessoa, torna-se preocupante e se deve procurar especialista em cardiologia.