A responsável afirmou à Angop que o stock do banco está vazio por falta de dadores voluntários.

Referiu que para colmatar a situação dependem de dadores familiares ou de outras unidades sanitárias.

"Quando existe essa impossibilidade temos de recorrer a outros mecanismos, como chamar dadores voluntários por via de comunicados em rádios. O sangue devia esperar pelo paciente na unidade, não o contrário", lamentou.

Realçou que o centro tem capacidade para 80 bolsas de sangue de 450 mililitros, cada das quais pode transfundir para duas ou três crianças.

Explicou que a necessidade vária em função da quantidade de doentes que tem diariamente e em função os pacientes que precisem de sangue, como os que têm anemia por malária ou drepanositose.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.