Esta situação obriga que os pacientes a tirarem fotografias dos resultados através da tela do computador, para mostrarem aos médicos.

Mensalmente, em média, 500 pacientes, que recorrem as áreas de medicina interna, cirurgia, ortopedia, otorrinolaringologia, maxilofacial, fisioterapia, imagiologia e terapia, procuram por este serviço.

De acordo com o director da referida unidade sanitária, Pires Cangombe, a situação já está a ser acautelada, com os esforços destinados a compra de duas impressoras. Para o efeito, adiantou, foram já disponibilizadas as verbas, em indicar o valor em causa,  para o efeito.

Por outro lado, informou que estão a ser feitas obras para transformar algumas salas em cozinha, lavandaria, morgue e consultórios médicos, na especialidade estomatologia.

Será igualmente adaptada uma sala para os serviços especializados para doentes com queimaduras.

O Hospital, localizado na Centralidade do Mussungue, funciona com 20 médicos de diversas especialidades e possui um laboratório e igual número de bloco operatório.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.