O responsável disse que os casos de insuficiência renal têm aumentado gradualmente, sem fazer uma comparação com os anos anteriores.

Explicou que a malária é uma das causas principais para o surgimento desta patologia naquela  unidade.

Segundo o responsável, a pediatria não possui condições para atende-los e, por isso, são levados para o centro de hemodiálise do Hospital Josina Machel, para devido tratamento.

“Os doentes com insuficiência renal são atendidos em outras unidades e para transportá-los temos que fazer o uso da ambulância, mas gostariamos de ter alguma autonomia no tratamento a nível da sua unidade hospitalar“, referiu.

Fez saber que para além das doenças que tem a ver com a malária, as outras patologias que os preocupa, em termos de respostas, são as doenças respiratórias agudas, diarréicas, mal nutrição, infecção do recém nascido e algumas patologias preveníveis por vacinação.

Em termos de estrutura, o banco de urgência é a área que mais preocupa e a sua construção deve ser imediata, porque considera-se a sala de visita do hospital.

O hospital precisa de mais de 300 médicos para conseguir dar resposta aos pacientes que recorrem aos serviços da unidade sanitária.

A circunscrição possui 422 camas e 630 funcionários para atender os pacientes.