Os serviços sanitários espanhóis atualizaram para 28.346 o número total de óbitos com a pandemia, mais um do que domingo, havendo 12 óbitos notificados na última semana, dos quais cinco na comunidade autónoma de Madrid, a mais atingida.

Por outro lado, o total de pessoas infetadas desde o início da pandemia é de 248.970, dos quais 84 nas últimas 24 horas.

A comunidade autónoma da Andaluzia é a região com mais novos casos (32), seguida de Aragão (15) e da Catalunha (11).

O relatório diário com a atualização da situação epidemiológica no país informa que já passaram pelos hospitais 125.132 pessoas com a COVID-19, tendo dado entrada na última semana 137.

O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, defendeu hoje numa entrevista a uma rádio o confinamento cirúrgico ou seletivo para deter os surtos da pandemia que têm aparecido em Espanha.

“Os confinamentos cirúrgicos fazem parte da estratégia atual: se for detetado um surto, e for necessário confinar um edifício, uma empresa ou colocar em quarentena um bloco de apartamentos […] as comunidades autónomas estão habilitadas e têm o apoio do Ministério” da Saúde, declarou o responsável governamental.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 501 mil mortos e infetou mais de 10,16 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (125.803) e mais casos de infeção confirmados (mais de 2,54 milhões).

Seguem-se o Brasil (57.622 mortes, mais de 1,34 milhões de casos), Reino Unido (43.575 mortos, quase 312 mil casos), a Itália (34.738 mortos e mais de 240 mil casos), a França (29.778 mortos, mais de 199 mil casos) e a Espanha (28.346 mortos, quase 249 mil casos).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.