“Recenseámos esta manhã 18 mortos”, referiu ontem à agência noticiosa France-Presse (AFP) Clemence Duri, responsável pelos serviços de saúde para a cidade.

“Pelo menos 400 pessoas foram hospitalizadas nos bairros de Mbare, Budiriro e Glen View. Testes realizados em poços confirmaram a sua contaminação por uma bactéria que provoca a cólera e a febre tifóide”, acrescentou.

As autoridades ordenaram o encerramento dos poços suspeitos e solicitaram à população para respeitar “as medidas elementares de urgência” para erradicar a contaminação.

As epidemias de cólera e de febre são frequentes no Zimbábue, onde os sistemas de distribuição e de saneamento são com frequência deficientes.

Em 2008, pelo menos 4000 pessoas morreram de cólera no Zimbábue. A epidemia foi desencadeada no auge da crise económica, que implicou o encerramento de numerosos hospitais públicos por escassez de medicamentos e de pessoal, que saiu do país.

A cólera e a febre tifóide são provocadas por uma bactéria que se transmite após a ingestão de alimentos ou água contaminadas.

No poder desde a queda de Robert Mugabe em novembro de 2017, o Presidente Emmerson Mnangagwa prometeu reverter a atual crise económica do país.