Nas três áreas da República Democrática do Congo afetadas pelo surto da doença foram registados até terça-feira 58 casos, dos quais 37 foram confirmados, 14 são prováveis e sete suspeitos.

O Ministério da Saúde, juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Médicos Sem Fronteiras (MSF) e outras organizações internacionais, realizaram uma campanha de vacinação nas últimas três semanas, tendo sido vacinadas 1.369 pessoas.

Este surto de Ébola, localizado inicialmente nas áreas rurais do noroeste e depois atingiu a área urbana de Mbandaka, é o nono que atinge a República Democrática do Congo desde que o vírus foi descoberto em 1976 neste país, quando ainda se chamava Zaire.

A doença - que é transmitida por contacto direto com sangue e fluidos – causa sangramento severo e tem uma taxa de mortalidade de até 90%.

Os primeiros sintomas são febre súbita e alta, fraqueza intensa e dores musculares, na cabeça e na garganta, além de vómitos.