A responsável que falava das regulares condições de atendimento existente no centro hospitalar, explicou que prevenir o surgimento de mais casos, aconselhou as mães à amamentarem até pelo menos aos dois anos de idade, bem como optarem por alimentação saudável, baseada em verduras, feijão, sopas e papas.

Recomendou igualmente, aos progenitores a procurarem sempre que haja suspeitas de enfermidades na criança, uma unidade hospitalar com vista a dar o devido tratamento.

Para a rápida recuperação de casos da desnutrição, Amélia Fernando fez saber que para além de aplicar o F75 e F100, medicamentos adaptados ao combate da doença, a unidade hospitalar regulariza a dieta alimentar dos doentes, que consiste em oferecer três refeições nutritivas diárias.

Salientou que com a aproximação da época chuvosa, o centro regista o aumento do número de pacientes com problemas da malária, doenças diarreicas agudas, doenças respiratórias agudas, entre outras patologias frequentes nesse período do ano.

Exemplificou que actualmente, o número de pacientes internados no centro pediátrico subiu de 21 para 42 casos, na sua maioria padecendo de malária e doenças respiratórias agudas.

Como medida profilática, aconselhou as pessoas a criarem o hábito de usar os mosquiteiros e insecticidas para se prevenirem das picadas dos mosquitos, bem como ferver a água para beber e preocuparem-se com o saneamento básico.