A hipótese foi avançada pelo neurocientista Berislav Zlokovic, da Faculdade de Medicina Keck da Universidade da Califórnia do Sul, nos Estados Unidos, que considera fundamental perceber o primeiro passo no desenvolvimento da doença de Alzheimer para que seja possível combatê-la de forma mais precoce e eficaz.

Segundo o cientista, quanto mais cedo a doença neurodegenerativa for detetada, melhor será a possibilidade de a travar ou desacelerar, embora se saiba que a doença não tem cura.

"A incapacidade cognitiva e a acumulação no cérebro das proteínas anormais amiloide e tau são aquilo em que atualmente nos baseamos para diagnosticar a doença de Alzheimer, mas pode-se observar quebras na barreira hematoencefálica e alterações na corrente sanguínea cerebral muito antes disso", comenta Berislav Zlokovic num comunicado da referida universidade.

"Isto demonstra a razão pela qual os vasos sanguíneos saudáveis são tão importantes para o funcionamento normal do cérebro", acrescentou o cientista.

O que é a barreira hematoencefálica?

A BHE consiste num sistema de filtração que deixa passar substâncias benéficas para o cérebro (glicose, aminoácidos e outras) e impede a passagem de substâncias nocivas como bactérias ou vírus. Este sistema é composto essencialmente por células do endotélio que reveste as centenas de quilómetros de artérias, veias e vasos capilares que alimentam o cérebro.

Ruturas nesta rede podem permitir a passagem da proteína amiloide para o cérebro, que adere aos neurónios, e desencadeia a acumulação de mais proteína, causando eventualmente a morte dos neurónios.

Os investigadores explicaram que é possível detetar ruturas na BHE através de uma substância de contraste em exames de ressonância magnética.

Segundo os cientistas, as micro-hemorragias cerebrais são outro sinal de rutura e que são igualmente detetáveis em ressonâncias magnéticas.

Por outro lado, uma absorção mais lenta da glicose pelo cérebro pode indiciar igualmente uma rutura no sistema da BHE.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.