As autoridades britânicas identificaram 1.056 novos infetados, aumentando para 296.857 os casos de contágio diagnosticados desde o início da pandemia.

Embora os números relativos ao fim de semana sejam regularmente mais baixos devido ao atraso no registo das mortes, o Reino Unido tem registado um declínio sustentado na mortalidade atribuída ao coronavírus.

Este cenário favorável levou o governo britânico a manter os planos para aliviar o confinamento decretado em 23 de março, tendo hoje reaberto lojas de bens não essenciais, como roupa, brinquedos ou eletrónicos.

Em algumas cidades de Inglaterra foram registadas longas filas de acesso aos espaços comerciais, fechados há quase três semanas e agora com capacidade limitada devido à necessidade de serem respeitadas as regras de distanciamento social.

Atrações ao ar livre, como jardins zoológicos, também vão poder abrir, e fiéis vão poder orar individualmente em locais de culto a partir de hoje.

Hoje passa também a ser obrigatório o uso de máscaras nos transportes públicos, mas noutros espaços fechados ainda continua a ser opcional.

As regras aplicam-se a Inglaterra porque as outras nações do Reino Unido (Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales) têm autonomia e adotaram normas e calendários diferentes para o fim do confinamento.

As lojas não essenciais já abriram na Irlanda do Norte na sexta-feira passada, mas ainda não têm data para a reabertura na Escócia e País de Gales.

O governo britânico tem previsto uma nova fase de fim do confinamento a partir de 04 de julho, quando poderá ser permitida a reabertura de bares e restaurantes se não forem identificados sinais de que a taxa de transmissão de doença aumentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.