Em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa, questionado se é provável a renovação do estado de emergência, Marcelo Rebelo de Sousa respondeu que antes dessa decisão "haverá uma nova reunião de responsáveis políticos com especialistas, epidemiologistas", na terça-feira, 31 de março, durante a manhã.

"E será ponderado, obviamente, por mim, em diálogo com o senhor primeiro-ministro e, portanto, com o Governo, e em diálogo com o parlamento, exatamente o que é necessário para os 14 dias seguintes: se é preciso, além de renovar o estado de emergência, acrescentar mais um ponto ou outro, ou não. Essa avaliação será feita com os dados até ao começo da próxima semana, para depois vigorar, se for caso disso, se a Assembleia da República autorizar, até ao dia 16 de abril", afirmou.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, quinta-feira da próxima semana.

60 mortes em Portugal

Portugal regista hoje 60 mortes associadas à covid-19, mais 17 do que na quarta-feira, e 3.544 casos de infeção, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde

O relatório da situação epidemiológica em Portugal, com dados atualizados até às 24:00 de quarta-feira, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortes (28), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (18), da região Centro (13) e do Algarve (1). Relativamente a quarta-feira, em que se registaram 43 mortes, hoje observou-se um aumento de 39,5%.

De acordo com os mesmos dados, há 3.544 confirmados, mais 549 (um aumento de 18,3%) face a quarta-feira.

Das 60 mortes registadas, 33 tinham mais de 80 anos, 15 tinham idades entre os 70 e os 79 anos, oito entre os 60 e os 69 anos e quatro entre os 50 e os 59 anos.

Os dados da DGS precisam que Lisboa é a cidade que regista o maior número de casos pelo coronavírus SARSCov2 (284), logo seguida do Porto com (259 casos), Vila Nova de Gaia (163), Maia (157), Ovar (119), Gondomar (114), Valongo (100) e Braga (98).

Desde o dia 01 de janeiro, existem 22.257 casos suspeitos, dos quais 2.145 aguardam resultado laboratorial.

Há 16.568 casos que não se confirmaram e 43 doentes que já recuperaram. Em vigilância pelas autoridades de saúde estão 14.994 casos.

Das 3.544 pessoas infetadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), a grande maioria (3.353) está a recuperar em casa, 191 estão internados (menos 85 face a quarta-feira), 61 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos, o mesmo número de quarta-feira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.