Itália regista mais 525 mortes em 24 horas, mantendo ligeira descida no número de vítimas mortais e aumento nos curados

As mortes em Itália associadas ao novo coronavírus SARS-CoV-2 ascenderam hoje às 15.887, após serem registados mais 525 óbitos nas últimas 24 horas, um número inferior ao registado ontem, indicam os últimos dados da Proteção Civil italiana.

No entanto, o número de contágios registou um aumento de 4.316 pessoas, num total de 128.948 casos positivos da COVID-19, com 3.977 nos cuidados intensivos. O número de casos ativos fixa-se nos 91.246. Já os curados situam-se nos 21.815, ou seja, mais 819 face ao dia anterior.

Itália registou no sábado um recorde de 9.348 multas por infração às regras de confinamento, o número mais elevado desde que começaram a ser aplicadas multas, a 26 de março, anunciou hoje o Ministério do Interior.No total, 9.284 pessoas foram multadas por estarem fora da residência sem justificação válida, 54 por apresentarem falsas declarações e 10 por violarem a quarentena a que estavam obrigadas por terem testado positivo para o novo coronavírus.

Espanha mantém tendência de redução de mortos e contagiados

Espanha registou nas últimas 24 horas 674 mortes devido ao novo coronavírus, o terceiro dia consecutivo de redução, alcançando um total de 12.418 vítimas mortais, segundo a última atualização das autoridades sanitárias.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, foram confirmados 6.023 novos infetados, o que também confirma a desaceleração do ritmo de progresso da pandemia, sendo agora o total de contagiados de 130.759.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, 38.989 pessoas que foram contagiadas tiveram alta e são consideradas como curadas (dados consolidados às 20:00 horas de Lisboa de sábado).

As forças policiais espanholas detiveram 2.850 pessoas e aplicaram 330.000 multas por desobediência ou atentado à autoridade em três semanas de estado de emergência, segundo dados anunciados hoje pelo ministro do Interior espanhol, Fernando Grande Marlaska.

Altas na Bélgica superam pela primeira vez o número de hospitalizações

As altas hospitalares de pessoas afetadas pela COVID-19 na Bélgica nas últimas 24 horas superaram, pela primeira vez, o número de hospitalizações desde que começou a pandemia, informou hoje o instituto belga de saúde Sciensano.

No total, foram necessários 499 internamentos, enquanto 504 pacientes receberam alta, segundo o instituto.Atualmente, existem 5.735 camas ocupadas por doentes infetados com COVID-19 nos centros hospitalares belgas, dos quais 1.261 estão nos cuidados intensivos.
Um outro dado que o Sciensano considera positivo é que nas últimas 24 horas a ocupação nos cuidados intensivos só aumentou em 16 pessoas.No que diz respeito ao número de mortos com coronavírus, desde sábado houve 164, o que eleva o número total para 1.447.
Quanto aos casos, foram confirmados 1.260 novos nas últimas 24 horas, elevando o número total para 19.961.

Mais 621 mortes no Reino Unido, total 4.934

O Reino Unido registou nas últimas 24 horas mais 621 mortes de pessoas infetadas, elevando o número total de óbitos durante a pandemia COVID-19 para 4.934, indicou hoje o Ministério da Saúde britânico.

De acordo com a atualização dos dados feita hoje, o número de pessoas infetadas aumentou 5.903 desde sábado, para 47.806, após diagnosticados mais casos positivos. No sábado, o balanço diário tinha registado mais 708 mortes e mais 3.735 novas infeções relativamente ao dia anterior.

Os números das mortes referem-se a pacientes diagnosticados com COVID-19 que morreram no hospital até às 17:00 horas da véspera e são compilados a partir de dados das direções regionais de Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

O número de pessoas infetadas é contabilizado de forma diferente e inclui os diagnósticos feitos até às 09:00 horas de hoje.

Estas estatísticas não incluem mortes fora do hospital, como aquelas registadas em lares de idosos, e algumas podem não ser incluídas no balanço diário, porque o registo dos óbitos pode demorar mais tempo, refere o ministério da Saúde.

Menos casos novos mas mais vítimas mortais na Alemanha

A Alemanha regista 91.714 casos de COVID-19, mais 5.936 que na véspera, e 1.342 vítimas mortais, um crescimento de 184, o que significa que o aumento do número de novos infetados abrandou, mas o de mortes subiu.

No sábado, o Instituto Robert Koch (RKI) tinha informado a existência de 6.082 novos casos e mais 141 vítimas mortais em relação ao dia anterior.

A entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças, mostra ainda que a Baviera, com 23.846 casos diagnosticados, e a Renânia do Norte-Vestefália, com 18.735, os maiores e mais populosos estados da Alemanha, são os que registam mais casos.

Portugal com 295 mortes e 11.278 infetados

Portugal regista hoje 295 mortes associadas à COVID-19, mais 29 do que no sábado, e 11.278 infetados (mais 754), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Relativamente a sábado, em que se registavam 266 mortes, hoje observou-se um aumento de 11% (mais 29). De acordo com os dados da DGS, há 11.278 casos confirmados, mais 754, um aumento de 7,2% face ao dia anterior.

Desde o dia 01 de janeiro, registaram-se 86.370 casos suspeitos, dos quais 4.962 aguardam resultado das análises. O boletim epidemiológico indica também que há 70.130 casos em que o resultado dos testes foi negativo e mantém, em relação a sábado, o número de doentes recuperados: 75.

A DGS regista ainda 23.209 contactos em vigilância pelas autoridades (mais 351 do que no sábado).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.