Segundo o boletim informativo de hoje, domingo, distribuído à imprensa, em três meses de luta contra a doença, apenas 33 mulheres estão infectadas pela pandemia em Angola, com idades compreendidas entre um mês e acima dos 60 anos.

Num universo de 86 casos actuais, há registos de quatro mortos, todos do sexo masculino, contra nenhuma mulher, grupo  que contabilizam menos 20 infecções em relação aos homens, apesar de apresentarem sintomas comuns, em estágio inicial da doença.

Entre eles, a tosse (27%), febres acima de 38 graus célsius, dor de cabeça (14%), dificuldade respiratória (13%), mialgia (dores musculares, 7%), mal-estar geral (7%), dor de garganta (3%), calafrio (3%) e irritabilidade (3%).

O documento ilustra que 89 por cento destes pacientes, em ambos os sexos, não apresentam sintomas (são assintomáticos), enquanto 11 por cento manifestaram sinais e sintomas.

A última semana de Maio foi a mais “doentia”, com cerca de 21 casos, contra os dois da última semana de Março, mês em que foram anunciadas as primeiras vítimas da doença em Angola.

Em termos geográficos, a província de Luanda mantém-se como o epicentro, com o município de Talatona à frente (28 doentes), seguido do Cazenga (21), Maianga (14), Belas (09), Kilamba Kiaxe (05), Ingombota (03), Cacuaco (02), Rangel (01) e Viana (01).

Últimas 24 horas

De acordo com Franco Mufinda, nesse período, foram confirmados dois novos casos da covid-19, perfazendo 86 pessoas já infectadas em Angola, com quatro óbitos e 18 recuperados.

Constam ainda, das estatísticas, 64 casos activos, um dos quais requerendo atenção especial, padecente de outras doenças crónicas. Os restantes pacientes estão clinicamente estáveis, nas unidades sanitárias onde se encontram internados.

CISP

Relativamente ao Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), o secretário de Estado para a Saúde Pública disse ter recebido 43 chamadas, entre as quais uma denúncia e 42 pedidos de informação sobre a doença.

INIS

O responsável informou que o Instituto Nacional de Investigação em Saúde (INIS) processou mais de dez mil amostras, sendo 86 positivas (57 de transmissão local) e nove mil e 667 negativas, estando outras restantes em processamento.

Nas últimas 24 horas, continuou, 15 pessoas receberam alta em Luanda, duas (2) na Lunda Sul, e uma cada na Huila e no Huambo.

Na ocasião, o secretário de Esatdo para a Saúde Pública, informou estarem igualmente em investigação 455 casos suspeitos, 1.140 contactos sob vigilância, ao passo que 1.044 pessoas se encontram em quarentena institucional.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.