“Foram registados 25 novos positivos no país”, afirmou, em conferência de imprensa, o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES), Dionísio Cumba.

Segundo o médico guineense, o país passa a ter um total acumulado de 1.790 casos de covid-19 desde o início da pandemia na Guiné-Bissau.

O país registou os primeiros casos de covid-19 em março. Dionísio Cumba manteve o número de vítimas mortais em 25.

“Em relação ao número de recuperados subiu para 760 pessoas”, afirmou.

A Guiné-Bissau tem 1.005 casos ativos de covid-19.

Em relação ao número de internados, o médico guineense precisou que estão 19 pessoas no Hospital Nacional Simão Mendes, três das quais em estado considerado grave, mas não deu os números relativo aos hospitais de Bor e Cumura, por não ter dados atualizados.

Por regiões, o total de casos acumulados para a covid-19, é de 1.673 no Setor Autónomo de Bissau, 56 em Biombo, 27 em Cacheu, 21 em Bafatá, dois em Gabu, 10 em Oio e dois em Tombali.

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, declarou, pela sexta vez, o estado de emergência no país até 25 julho por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 534 mil mortos e infetou mais de 11,47 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 11.360 mortos confirmados em mais de 476 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (3.071 casos e 51 mortos), seguida da Guiné-Bissau, Cabo Verde (1.463 casos e 17 mortos), Moçambique (987 casos e oito mortos), São Tomé e Príncipe (719 casos e 13 mortos) e Angola (353 infetados e 19 mortos).

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de infetados e de mortos (mais de 1,6 milhões de casos e 64.867 óbitos), depois dos Estados Unidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.